Cinco negócios promissores para o futuro

Conheça as tecnologias que vão moldar a vida cotidiana nos próximos anos e décadas

Tecnologia e Inovação/Reportagem / 30 de agosto de 2019
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Ilustração: Rodrigo Auada

Na reportagem “Um ohar para 2035, nos arriscamos em apresentar os fundamentos dos negócios que têm mais chances de prosperar nos próximos anos e décadas. Abaixo, confira uma lista de cinco tecnologias, elencadas em recente publicação do Fórum Econômico Mundial, que podem dar origem a descobertas e negócios revolucionários.

Bioplásticos

Por mais absurda que seja a quantidade de plásticos que a humanidade usa hoje, ela ainda triplicará até 2050. Resolver essa questão envolve o desenvolvimento de uma matéria-prima que troque petroquímicos por polímeros obtidos principalmente de celulose — e isso já tem sido feito por empresas como Chrysalix Technologies, MetGen Oy e Mobius. É uma nova frente de pesquisa, que avança em relação às tentativas que já foram feitas, por exemplo, com cana-de-açúcar.

Telepresença colaborativa

O Skype e o FaceTime revolucionaram as conversas feitas de maneira remota. Em breve, essas tecnologias de comunicação vão permitir que as pessoas sintam de fato a presença de outras — mesmo que todos estejam em lugares diferentes. O desenvolvimento da chamada telepresença colaborativa tem importantes implicações, por exemplo, para a telemedicina. A Microsoft se destaca entre as empresas que investem nessa tecnologia.

Robôs sociais

Não é novidade a presença de robôs em indústrias e em serviços médicos, mas nesses casos eles estão sempre exercendo funções, digamos, mecânicas. Uma nova geração de máquinas, porém, vai se parecer mais com Rosie, a empregada-robô da família do desenho animado “Os Jetsons”: elas vão interagir com as pessoas, tentando oferecer até amparo emocional. Um nicho promissor para as novas “rosies” é o “trabalho” como acompanhante de idosos, inclusive os acometidos por doenças degenerativas como o Alzheimer. Algumas empresas que investem nessa tecnologia são Catalia Health, Amazon, Google e Sony.

Arma contra “proteínas do mal”

Há algumas décadas os cientistas descobriram que uma particular classe de proteínas estava por trás dos mecanismos de cânceres e doenças neurodegenerativas, mas ainda faltava encontrar uma maneira de barrar seus efeitos. É o que a tecnologia começa a permitir, por meio do desenvolvimento de “armas” capazes de desestruturar essas proteínas. Estão na linha de frente dessa pesquisa empresas como IDP Pharma, Graffinity Pharmaceuticals e Dewpoint Therapeutics.

Reatores nucleares mais seguros

Não se discute que a economia baseada em combustíveis fósseis está com os dias contados, o que cria um grande campo para a expansão de fontes capazes de substituir uma matriz de tamanha relevância. Nesse contexto, a energia nuclear, que não emite carbono, volta a ser alvo de atenção — para o bem e para o mal. A questão está relacionada à segurança dos reatores, e tecnologias têm avançado para garantir que ela melhore. A Westinghouse Electric Company, por exemplo, investe no desenvolvimento de uma espécie de combustível resistente a acidentes.


Leia também

Um olhar para 2035: como estará o ambiente de negócios em 16 anos

Com a libra, Facebook põe autoridades e bancos em alerta

Inteligência artificial: da ficção à economia real

 




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  tecnologia inovação futuro Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Um olhar para 2035
Próxima matéria
Tempo de adaptação



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Um olhar para 2035
O teste é simples, mas o resultado é eloquente. Um pesquisador mostra a um grupo de pessoas um vídeo curto, com dois...
estudo_aplicado_02-07

Promoção de aniversário

ASSINE O PLANO COMPLETO POR R$4,99 NOS TRÊS PRIMEIROS MESES!

{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}