Boletim de voto custará pelo menos R$ 7,6 mil anuais para as companhias

Seletas / Bolsas e conjuntura / Reportagem / Edição 59 / 3 de dezembro de 2016
Por 
Ilustração: Rodrigo Auada Os custos do boletim de voto a distância, criado pela Instrução 561 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), começam a ser delineados. Nessa modalidade recém-chegada ao mercado brasileiro, o acionista encaminha o boletim preenchido para os custodiantes, que, por...

Este conteúdo é restrito a assinantes! Faça login >

paywall2 paywall

Se já é assinante, faça login:



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  bmfbovespa assembleia voto eletrônico voto à distância boletim de voto Instrução 561

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Blackstone, UBS e Google querem incentivar diversidades étnica e de gênero
Próxima matéria
Mercados Derivativos – Conceitos e Procedimentos Operacionais




Recomendado para você




1 comentário

Dec 06, 2016

que boa notícia. O mercado agradece !!!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Blackstone, UBS e Google querem incentivar diversidades étnica e de gênero
A Case Foundation, instituição filantrópica criada pelo ex-CEO da AOL Steve Case e por sua esposa Jane Case, se dedica...