Amec pede à CVM para fiscalizar companhias que se distanciam de seu objeto social

Seletas / Companhias abertas / Reportagem / Edição 56 / 11 de novembro de 2016
Por 
Ilustração: Rodrigo Auada Um investidor compra ações de uma companhia que explora petróleo, mas acaba também acionista de uma operadora de telefonia em recuperação judicial. O caso é real. A PetroRio, novo nome da HRT, é acionista da Oi. Seu nome figurou entre os sócios que participaram...

Este conteúdo é restrito a assinantes! Faça login >

paywall2 paywall

Se já é assinante, faça login:



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  CVM Oi Amec HRT objeto social PetroRio Tanure

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Área técnica da CVM ganha autonomia para avaliar OPAs
Próxima matéria
Incerteza mundial afeta investimentos de venture capital




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Área técnica da CVM ganha autonomia para avaliar OPAs
As ofertas públicas de aquisição de ações (OPAs) poderão ficar mais céleres. Por meio da Deliberação 756, publicada...