Capitalismo de fumaça e sombras

O livre mercado e o lado obscuro da enganação da sociedade

Bolsas e conjuntura/Prateleira/Edição 147 / 1 de janeiro de 2016
Por 


Phishing for Phools: the economics of manipulation and deception George A. Akerlof, Robert J. Shiller Editora: Princeton University Press 280 páginas 1ª edição, 2015

Phishing for Phools: the economics of manipulation and deception
George A. Akerlof, Robert J. Shiller
Editora: Princeton University Press
280 páginas 1ª edição, 2015

“Phishing” (uma corruptela do inglês fishing, que significa pescaria) é um termo criado no mundo da computação e identifica tentativas de se “fisgar” os dados de um indivíduo por meio de fraudes eletrônicas. Em Phishing for Phools, os ganhadores de prêmio Nobel George Akerlof e Robert Shiller expandem o conceito para o campo da economia e para nossa realidade diária, de maneira a expor como o capitalismo de livre mercado dá espaço para a manipulação e a enganação.

A humanidade nunca viveu uma época de tanta bonança e avanço na qualidade de vida geral da população em toda a história. Desde Adam Smith, aprendemos que não é pela generosidade do padeiro que temos acesso a pão, mas sim por causa do seu desejo individual de obter renda e lucro. Extrapolando do indivíduo para a sociedade, lembramos da famosa “mão invisível” dos mercados, que forma a pedra fundamental do pensamento econômico capitalista há cerca de 200 anos. A despeito da indisputável solidez do argumento, Akerlof e Shiller jogam luz sobre o lado obscuro dos mercados ao enumerar distorções a que estamos sujeitos todos os dias. Desde que se possa lucrar com algo, alguém vai explorar nossas fraquezas psicológicas ou nossa ignorância com truques e ilusões e vamos acabar sendo “pescados”. Muitos de nós vivem à beira de um desespero silencioso e reprimido; gastamos no limite para manter um padrão de vida de que não precisamos — e depois nos descabelamos para pagar as contas.

Os autores são rotulados como iconoclastas por seus pares da academia americana, mas sua rebeldia estimula o ceticismo em relação ao pensamento convencional, que aceita passivamente os desvios de comportamento do capitalismo. O campo da economia comportamental, da qual Shiller é fervoroso devoto, tem desafiado alguns preceitos da economia moderna com o objetivo de não apenas aperfeiçoar modelos acadêmicos, mas em especial para auxiliar na compreensão das falhas do capitalismo e oferecer ideias para consertá-las. Invariavelmente, uma das soluções clássicas para a sociedade lidar com esses problemas consiste em monitoramento e regulação por parte dos governos — algo que entra em choque frontal com a teoria libertária, segundo a qual “o governo atrapalha, e o Estado deveria ter tamanho mínimo”.

Apesar de demonstrarem enorme respeito pela teoria clássica dos mercados, os autores não se conformam com a manipulação e as trapaças do mundo dos negócios moderno. Os setores financeiro, de tabaco, farmacêutico e de bebidas alcoólicas, entre outros, são amplamente discutidos na obra como expoentes desses desvios.

Um exemplo em particular captura a essência da obra. Os autores brincam que a primeira “tola” a ser fisgada (“phished”) da história foi Eva. Afinal, a serpente a convenceu a pegar algo que ela não queria, de que não precisava, e que ela sabia de antemão que não deveria pegar, pois o custo seria muito elevado. Em outras palavras, o pecado original ainda se manifesta no dia a dia da humanidade, e está à espreita de nossas fragilidades psicológicas e de nossa ingenuidade. Como consumidores e membros da sociedade, só nos resta encarar o bombardeio de mensagens a que estamos sujeitos diariamente sob o olhar cético do caveat emptor — expressão latina que significa
“comprador, cuidado”.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais capitalismo livre mercado Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Termo de compromisso da Inepar é rejeitado
Próxima matéria
Longe do fim



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Termo de compromisso da Inepar é rejeitado
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) rejeitou o termo de compromisso proposto por ex-executivos da Inepar, o que levará...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}