História dos unicórnios

99 é exemplo bem-sucedido do segundo ciclo de negócios digitais brasileiros

Tecnologia e Inovação / N@ Web / 14 de Janeiro de 2018
Por 


 

 

Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A 99, aplicativo de transporte privado, foi adquirida pela chinesa Didi Chuxing, rival do Uber, no início deste ano, em uma transação de 960 milhões de reais. O valor decorreu de uma avaliação da companhia em pelo menos 1 bilhão de dólares, o que a transformou no primeiro unicórnio brasileiro — nome dado às startups que superam esse valor. Em seu LinkedIn, Romero Rodrigues, fundador do Buscapé, aproveitou o gancho para contar a história do investimento de venture capital no Brasil. A 99, destacou, é um exemplo de saída bem-sucedida dos investidores no que ele chama de segundo ciclo dos negócios digitais no Brasil, iniciado em 2010 — o Buscapé, vendido para a Naspers em 2009, faz parte do primeiro ciclo, que durou de 1999 a 2000. Nos comentários, outros empreendedores brasileiros aproveitaram para relembrar de alguns clássicos do empreendedorismo nacional, como ZipNet e Cadê.

 



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  tecnologia n@ web 99 investimento chinês unicórnio Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
O administrador tem de provar
Próxima matéria
CVM veda qualificação de criptomoedas como ativos financeiros




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
O administrador tem de provar
Na corte do estado americano de Delaware, considerada a mais avançada em termos de direito corporativo, a business judgement...