Dodd-Frank na mira dos republicanos

Cotado para se tornar o secretário do Tesouro de Donald Trump caso o controverso empresário seja eleito presidente dos Estados Unidos, o investidor ativista Carl Icahn não poupou críticas a um discurso feito recentemente pela candidata democrata, Hillary Clinton, no estado de Michigan. “O discurso …

Seletas/N@ Web/Edição 45 / 26 de agosto de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Cotado para se tornar o secretário do Tesouro de Donald Trump caso o controverso empresário seja eleito presidente dos Estados Unidos, o investidor ativista Carl Icahn não poupou críticas a um discurso feito recentemente pela candidata democrata, Hillary Clinton, no estado de Michigan. “O discurso de Hillary levantou um punhado de contradições. Como ela pretende ‘liberar o poder das corporações’ sem fazer nada sobre a regulação sufocante em vigor nos dias atuais e sobre a qual ela não se pronunciou?”, questionou Icahn em sua conta do Twitter.

A regulação do mercado de capitais americano tem gerado discussões nas redes sociais. Muitos comentam que Trump quer acabar com a Lei Dodd-Frank, criada após a crise financeira de 2008, com o intuito de beneficiar banqueiros de Wall Street dos quais é próximo. Outros compartilham a visão de Icahn e argumentam que a regulamentação atual trava o crescimento da economia e prejudica as companhias. “A Dodd-Frank está matando os bancos pequenos, essenciais para a sobrevivência de negócios menores”, disse um usuário no Twitter.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Wall Street Carl Icahn Donald Trump eleição EUA Hillary Clinton mercado de capitais americano Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Para CVM, recuperação judicial não dispensa divulgação de informações periódicas por companhia aberta
Próxima matéria
Private banking cresce 7% no primeiro semestre



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Para CVM, recuperação judicial não dispensa divulgação de informações periódicas por companhia aberta
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) julgou e condenou, em 28 de junho de 2016, administradores da Clarion S.A. Agroindustrial...