Catastrofismo ou clarividência?

Gestor de recursos afirma no Twitter que queda vista nas ações da General Eletric pode se alastrar para o mercado



Gestor de recursos discute no Twitter possibilidade de queda vista nas ações da General Eletric se alastrar para outras empresas

Ilustração: Rodrigo Auada

As ações da gigante do setor de energia General Eletric começaram o ano valendo cerca de 19 dólares, mas despencaram para a casa de 8 dólares depois que analistas do J.P.Morgan disseram que, tendo em vista a alavancagem da companhia, o papel deveria custar apenas 6 dólares. E o fenômeno parece não ser localizado, pelo menos conforme a avaliação de Scott Minerd, da gestora Guggenheim Partners. Em seu Twitter pessoal, ele publicou uma impressão um tanto catastrófica. “A queda da GE não é um evento isolado. Mais empresas com grau de investimento devem seguir o mesmo caminho. O colapso das dívidas com grau de investimento começou”, alertou, em um tuíte que recebeu pelo menos 400 curtidas. Alguns seguidores minimizaram a preocupação de Minerd, pontuando que as ações da companhia já retomaram a trajetória de alta. Já outros acham que é hora de investir em câmbio e commodities, deixando títulos corporativos e ações de lado por um tempo.


Leia também:

Governança da Qualicorp na UTI 

Crise faz Tecnisa virar gestora de estoques 

O declínio de Wall Street 


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  General Eletric Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Fortalecimento de FIIs exige ajustes na regulação
Próxima matéria
Nos EUA, techs fazem novas ofertas após estreias de sucesso



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Fortalecimento de FIIs exige ajustes na regulação
Em 2018, a Instrução 472 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) completa dez anos, com o mérito de ter promovido...