Califórnia cria cota para mulheres nos conselhos

Novidade desencadeia debate sobre intromissão do Estado na composição dos boards

Governança Corporativa/N@ Web / 5 de outubro de 2018
Por 


Califórnia cria cota para mulheres nos conselhos

Ilustração: Rodrigo Auada

Na semana passada, a Califórnia se tornou o primeiro estado americano a exigir que companhias listadas em bolsa tenham ao menos uma mulher em seus conselhos de administração. Apesar de diversidade ser um mantra da governança corporativa há algum tempo, o assunto não deixa de ser polêmico, como ficou claro nas redes sociais. “Mulheres investem, trabalham e compram produtos e serviços das companhias. Por que não deveriam estar nos seus conselhos?”, escreveu uma usuária do Twitter, elogiando a medida. Há, entretanto, quem tenha odiado a novidade. “Isso é tão estúpido… O gênero de uma pessoa não dá a ela direito a ser empossada para nada. Parabéns, mulheres da Califórnia que participarem dos conselhos no futuro. Sempre haverá uma dúvida sobre se vocês merecem seus cargos”, escreveu uma outra usuária. De maneira mais ponderada, a NACD, associação nacional de conselheiros, se manifestou em carta aberta, dizendo que por mais que apoie a diversidade e o objetivo da lei, não acha que o Estado deva impor a maneira como os conselhos devem ser formados.


Leia também

Diversidade avança no mundo corporativo

Regulador britânico quer que empresas incluam trabalhadores nas decisões

Por conselhos mais femininos


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  conselhos de administração diversidade igualdade nos conselhos igualdade de gênero Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Canadá e Califórnia podem se tornar novos centros financeiros
Próxima matéria
Lei das Estatais na prática



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Canadá e Califórnia podem se tornar novos centros financeiros
Os profissionais do mundo das finanças sempre optaram por escritórios em Nova York ou em Londres. Mas essas localidades...