A crise da economia compartilhada

IPO da Uber na Nyse provoca críticas e sátiras nas redes sociais

Companhias abertas/N@ Web / 10 de maio de 2019
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Quando o aplicativo da Uber surgiu, não faltaram elogios — afinal, era uma oportunidade de os motoristas complementarem sua renda e empreenderem; para os usuários, o principal benefício seria não precisar mais arcar com os elevados custos de se ter um carro. Seria uma revolução na mobilidade e nas relações de trabalho, graças à economia compartilhada (a gig economy, em inglês). Mas o tempo passa e o lado obscuro começa a vir à tona: a precarização dos vínculos de trabalho e os ganhos — cada vez mais polpudos — obtidos pela Uber por meio da cobrança de tarifas dos motoristas passaram a incomodar. Por isso, a aguardada listagem da Uber na Nyse, na semana passado, foi marcada por protestos. Motoristas do aplicativo chegaram a fazer uma greve global no dia 8.

“A Uber e a Lyft [também dona de um aplicativo de transporte] têm despesas baixas, mas ficam com 25% do valor da corrida, deveria ser menos. Os motoristas assumem risco e pagam seguro, manutenção, combustível, alimentação, etc”, criticou um usuário do Twitter. Apesar das críticas, a Uber captou 8,1 bilhões de dólares em seu IPO. Detalhe curioso: embora os motoristas reclamem que a empresa ganha muito, a Uber registrou prejuízo de cerca de 2 bilhões de dólares em 2018. “A Uber se torna a empresa na história com maior prejuízo a fazer IPO. Bem-vindos ao capitalismo contemporâneo”, satirizou o perfil Faria Lima Elevator no Twitter.


Leia também

Open banking entre percalços e oportunidades

Era da disrupção requer conhecimentos específicos

A era dos gigantes de tecnologia que adiam a abertura de capital 


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  IPO Nyse economia compartilhada Uber Lyft Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Fundos de corporate venture como veículos para inovação aberta
Próxima matéria
DoJ avisa como irá avaliar compliance das companhias americanas



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Fundos de corporate venture como veículos para inovação aberta
FUNDOS DE CORPORATE VENTURE COMO VEÍCULOS PARA INOVAÇÃO ABERTA As vantagens e os riscos dos fundos...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}