SEC abre consulta pública para simplificar ofertas privadas

Regulador do mercado americano pretende reavaliar definições para investidores qualificados

Bolsas e conjuntura/Internacional / 28 de junho de 2019
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Ilustração: Rodrigo Auada

Desde 2012, quando o pacote legislativo conhecido como Jobs Act foi promulgado nos Estados Unidos com os objetivos de estimular a economia e de criar empregos, várias mudanças ocorreram nas regras para ofertas privadas de ações (aquelas que não exigem registro no regulador). Mas a Securities and Exchange Commission (SEC) anunciou, no último dia 18, uma consulta pública para revisar toda a regulação a respeito e criar um conjunto de normas mais harmônico.

Além de eliminar redundâncias e esclarecer alguns pontos, a SEC pretende reavaliar os limites impostos ao tipo de investidor que pode entrar em ofertas sem registro e à quantidade de dinheiro que ele pode aplicar nesses investimentos. Um dos pontos de atenção da SEC está relacionado à definição das pessoas e empresas que se encaixam na denominação “investidores qualificados”.

O regulador também discutirá se pessoas físicas podem ter maior exposição a empresas menores, com alto potencial de crescimento e maior risco, por meio de fundos de investimento. Nos últimos anos, nos Estados Unidos, players têm afirmado que a atual estrutura do mercado — que torna os investimentos em empresas promissoras acessíveis apenas a fundos de capital de risco — pode estimular a desigualdade e a concentração de renda.


Leia também

A era dos gigantes de tecnologia que adiam a abertura de capital

O declínio de Wall Street

Olhos vendados




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Fundos de investimento Securities and Exchange Commission Jobs Act oferta de ações investidor qualificado oferta privada de ações Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Decisão da CVM reforça preocupação com uso indevido de redes sociais
Próxima matéria
Responsabilidades



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Decisão da CVM reforça preocupação com uso indevido de redes sociais
Em decisão do último dia 11 de junho, o colegiado da CVM condenou, por unanimidade1, o acionista controlador, diretor-presidente...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}