PwC aponta mudanças no mercado até 2020

Internacional/Edição 141 / 1 de Maio de 2015
Por 


pwc-apontaMudanças drásticas em mercados de capitais de todo o mundo nos próximos cinco anos vão obrigar as companhias a dialogar com uma base mais ampla de partes interessadas, a fortalecer sua cultura corporativa e a ser mais pró-ativas em relação à regulação. Essa perspectiva consta de um estudo da PwC divulgado em abril. O levantamento colheu percepções de 250 empresas, investidores e outros participantes do mercado, como bancos de investimento e corretoras. Uma das conclusões foi que as empresas cada vez mais terão de demonstrar sua utilidade social em meio a um cenário desafiador de escassez de recursos naturais, avanços na tecnologia, mudanças na força de trabalho e crescente escrutínio por parte das autoridades e do público.

“As companhias precisarão provar que podem operar dentro desse novo equilíbrio”, afirmou John Garvey, líder global de serviços financeiros da PwC, em comunicado à imprensa. “Para serem bem-sucedidos no mundo de 2020, os participantes e os utilizadores do mercado de capitais terão que escolher sua postura: ser uma sombra do futuro ou um seguidor rápido. Ficar na mesma posição não será uma alternativa”, ressaltou.

Quando questionados sobre os três principais desafios do mercado de capitais e de seus participantes ao longo dos próximos cinco anos, 36% dos investidores e executivos ouvidos citaram o aumento de rentabilidade para os clientes, 33% mencionaram a adaptação às novas tecnologias e o restante indicou a manutenção de funcionários talentosos. Mais da metade (56%) também diz que sua prioridade de investimento será expandir a oferta aos clientes.

Pouco mais de três quartos dos entrevistados acreditam que um centro financeiro para rivalizar com Nova York e Londres irá surgir ao longo dos próximos cinco anos, enquanto 70% esperam que o “shadow banking” (sistema bancário paralelo), o crowdfunding e o “peer-to-peer lending” (empréstimo sem intermediários) vão representar uma ameaça ao setor bancário tradicional.

Ilustração: Rodrigo Auada


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Investidores temem impacto de ataques virtuais
Próxima matéria
Vistas no futuro



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Investidores temem impacto de ataques virtuais
Pesquisa feita pela KPMG revela que 79% dos investidores se sentiriam desencorajados a aplicar numa empresa vítima de ciberataque,...