- Capital Aberto - https://capitalaberto.com.br -

Para SSGA, diversidade de gênero ainda avança a passos lentos

Ilustração: Rodrigo Auada

Embora exista cada vez mais pressão da sociedade e de grandes investidores, a diversidade de gênero no alto escalão das empresas ainda está longe de avançar numa velocidade adequada. De acordo com relatório da State Street Global Advisors (SSGA), 57% das cerca de 1.350 empresas que na avaliação da gestora deveriam rever suas práticas de diversidade de gênero ainda precisam tomar atitudes nesse sentido. A fim de enfrentar essa lentidão, a SSGA promete que em 2020 vai participar ativamente de assembleias das empresas em que investe, numa tentativa de levar as companhias a mudar de comportamento, segundo relatório. A maior parte dessa fatia de 57% é de empresas de pequeno e médio portes.

Um dado positivo do relatório é o fato de 43% das empresas da amostra terem pelo menos uma mulher no board ou planejarem contar com a presença feminina no colegiado — em 2017 o percentual era de 15%. A SSGA pesquisou companhias sediadas nos Estados Unidos, no Canadá, em países europeus e no Japão. A pesquisa faz parte da iniciativa “Fearless Girl Campaign”, simbolizada pela já famosa estátua em bronze de uma menina com postura destemida instalada no distrito financeiro de Nova York.


Leia também

Igualdade de gênero chega à pauta das assets

A relação entre ruptura tecnológica e diversidade

Diversidade, um preceito ético