Para conselheiros, ativistas incentivam preocupação com o curto prazo

A maioria dos conselheiros de companhias abertas não vê de forma tão positiva a recente onda de ativismo de acionistas: 62% deles acham que a pressão dos hedge funds ativistas por mudanças acaba por incentivar a preocupação com o curto prazo. A avaliação faz parte da pesquisa What Directors Think, …

Seletas/Companhias abertas/Internacional/Edição 23 / 24 de março de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

A maioria dos conselheiros de companhias abertas não vê de forma tão positiva a recente onda de ativismo de acionistas: 62% deles acham que a pressão dos hedge funds ativistas por mudanças acaba por incentivar a preocupação com o curto prazo. A avaliação faz parte da pesquisa What Directors Think, conduzida pela Nyse Governance Services e pela Spencer Stuart. O estudo ouviu 400 conselheiros de administração.

“Em vez de enterrar suas cabeças na areia, os conselhos se beneficiariam se examinassem cenários pensando como os ativistas e identificassem as vulnerabilidades que podem colocá-los na mira desses investidores. Como frequentemente é o caso, a melhor defesa é um bom ataque”, avalia AdamSodowick, presidente da Nyse Governance Services.

Apesar da preocupação com o tema, apenas 19% dos entrevistados acreditam que os ativistas estão entre os maiores desafios que as corporações devem enfrentar em 2016. A incerteza econômica foi citada por um número muito maior de conselheiros (48%). Em seguida vêm riscos de mercado (37%), riscos cibernéticos (25%) e incerteza política (25%). Apesar de 38% dos conselheiros dizerem que ataques de hackers têm chances reais de acontecer e que fazem o possível para proteger os dados da empresa, eles reconhecem que não têm muito controle sobre a segurança tecnológica da companhia.

A pesquisa traz ainda outros dados interessantes: 42% dos conselheiros consideram que os boards dos quais fazem parte deveriam se concentrar mais em estratégias e planejamento de longo prazo e 65% afirmam que dialogar com os investidores é importante para resolver assuntos controversos antes que eles atinjam um ponto crítico.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  conselho de administração board companhias abertas Ativismo de pessoas físicas Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Negociando com credores
Próxima matéria
CVM quer facilitar oferta de debêntures destinadas ao varejo



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Negociando com credores
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}