Nasdaq quer transparência sobre remuneração de conselheiros indicados

Rédea de ouro. Parece nome de concurso de cavaleiros, mas é a tradução, para o português, de “golden leash” — expressão que designa a prática dos investidores ativistas (pessoas físicas ou fundos de investimento) de pagar pela performance dos executivos que os representam nas companhias investidas. …

Seletas/Bolsas e conjuntura/Edição 18/Internacional / 19 de fevereiro de 2016
Por 


Internacional_S18_PtRédea de ouro. Parece nome de concurso de cavaleiros, mas é a tradução, para o português, de “golden leash” — expressão que designa a prática dos investidores ativistas (pessoas físicas ou fundos de investimento) de pagar pela performance dos executivos que os representam nas companhias investidas. O instrumento vem sendo questionado pela bolsa de valores nova-iorquina Nasdaq, que neste mês propôs à Securities and Exchange Commission (SEC) regras para dar transparência a essas compensações.

A proposta da Nasdaq é que, anualmente, as companhias listadas em sua plataforma informem, no formulário 20F, todos os contratos e acordos firmados entre seus executivos (ou candidatos a vagas executivas) e outras pessoas ou entidades que envolvam remuneração pela atividade exercida na empresa. Segundo a bolsa, a transparência dessa informação vai permitir melhores decisões de voto pelos acionistas.

Os ativistas favoráveis ao uso da golden leash argumentam que o bônus por performance é importante para atrair executivos talentosos e alinhá-los com o interesse dos acionistas. Já quem se opõe a tal forma de compensação alega que ela pode desencadear conflitos de interesse e estimular o executivo a se concentrar em resultados de curto prazo, em detrimento da geração de valor num horizonte mais longo.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Nasdaq remuneração Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Novas perspectivas para o aço
Próxima matéria
Com novas regras para ofertas de notas promissórias, debêntures ganham concorrente



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Novas perspectivas para o aço
A expectativa sobre a demanda global por aço até 2025 caiu dois pontos percentuais em relação à previsão feita no ano passado...