Investidores resgatam cerca de 30 bilhões de dólares de fundos ativos

Saída de recursos dessas carteiras é o pior dos últimos três anos



Ilustração: Rodrigo Auada

Os fundos de gestão ativa dos Estados Unidos e da Europa perderam pelo menos 30 bilhões de dólares até o início de julho, o pior resultado para a categoria nos últimos três anos. Os europeus sacaram 20,9 bilhões de euros até o fim de maio, enquanto os americanos resgataram 12,9 bilhões de dólares nesse período. As informações são da empresa de dados Morning Star.

Em contrapartida, os fundos passivos continuam ganhando espaço: a participação saiu de 35% em julho de 2018 para 37,5% neste ano; na Europa, o avanço foi de 16,6% para 18,3%. Os fundos de gestão passiva têm atraído mais clientes pela performance estável e pelas taxas de administração baixas.

Além da concorrência dos fundos passivos, contribuem para os resgates questões macroeconômicas, como a guerra comercial entre China e Estados Unidos, e as novas regras da União Europeia, que aumentaram a transparência dos custos dos investimentos e fizeram muitos investidores questionarem se vale a pena pagar o preço das estratégias ativas.


Leia também

Um intrincado divórcio chamado Brexit

“O mundo não vai ajudar o próximo presidente”, diz Tony Volpon

Por causa do Brexit, investidores fogem do Reino Unido

Luis Stuhlberger alerta para os perigos da briga de Trump com a China


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Europa Estados Unidos China União Européia fundos passivos fundos ativos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Os desafios impostos pelo fim da Libor
Próxima matéria
Foco nas médias empresas que resolvem problemas



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você