Investidores cobram transparência sobre atuação política de petroleiras

Os investidores socialmente responsáveis (conhecidos como ESG, na sigla em inglês) estão de olho na atuação política de empresas de óleo e gás nos Estados Unidos. Uma iniciativa de fundos liderada pela gestora Walden Asset Management, de Boston, questiona 11 companhias por meio de propostas de …

Seletas/Edição 13/Internacional / 10 de janeiro de 2016
Por 


Ilustração: Grau 180.com.

Ilustração: Grau 180.com.

Os investidores socialmente responsáveis (conhecidos como ESG, na sigla em inglês) estão de olho na atuação política de empresas de óleo e gás nos Estados Unidos. Uma iniciativa de fundos liderada pela gestora Walden Asset Management, de Boston, questiona 11 companhias por meio de propostas de acionistas que deverão ser votadas em assembleias, reporta a revista Corporate Secretary. No alvo estão companhias como Chevron, Devon, Exxon Mobil e Occidental Petroleoum.

Os gestores exigem mais transparência em relação ao lobby dessas companhias em assuntos relacionados a riscos climáticos. As empresas em questão foram criticadas por apoiar um processo judicial da Câmara de Comércio dos Estados Unidos contra o projeto “Clean Power Plan”, uma iniciativa da Agência de Proteção Ambiental (EPA) para diminuir a emissão de gases causadores do efeito estufa.

Duas propostas estão sendo usadas para questionar as petroleiras. A primeira pede que as empresas garantam transparência a seus gastos e atitudes relacionadas a lobbies – tanto diretos quanto indiretos, como foi o caso do processo da câmara de comércio. A segunda pretende que as companhias revisem suas posições e o apoio financeiro que dão a grupos e associações que advogam sobre mudanças climáticas e políticas.

À Corporate Secretary, Tim Smith, diretor na Walden, afirmou que a discussão sobre mudanças climáticas envolvendo petroleiras evoluiu desde a COP 21, conferência ambiental realizada em Paris em 2015, quando empresas europeias defenderam ações para prevenir o problema. As companhias, contudo, evitaram se manifestar sobre o assunto. As propostas são, portanto, uma forma de incitar o debate.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  ESG Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Sugestões para tornar a análise prévia do Cade mais eficiente
Próxima matéria
Bovespa Mais é o destino principal de candidatas à abertura de capital



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Sugestões para tornar a análise prévia do Cade mais eficiente
A nova Lei de Concorrência (12.529/11) determina que fusões, aquisições e outros tipos de operação que possam gerar...