Grandes corporações reclamam de regras europeias para derivativos

Desde fevereiro de 2014 estão em vigor, na Europa, novas regras para derivativos. Elas exigem maior centralização das clearings e mais transparência e prestação de contas às autoridades sobre operações com esses instrumentos. O objetivo do regulador é evitar que os contribuintes europeus precisem, …

Seletas/Bolsas e conjuntura/Edição 15/Internacional / 1 de fevereiro de 2016
Por 


Ilustração: Grau 180.com.

Ilustração: Grau 180.com.

Desde fevereiro de 2014 estão em vigor, na Europa, novas regras para derivativos. Elas exigem maior centralização das clearings e mais transparência e prestação de contas às autoridades sobre operações com esses instrumentos. O objetivo do regulador é evitar que os contribuintes europeus precisem, mais uma vez, socorrer bancos à beira da falência por causa de operações arriscadas feitas com derivativos, como ocorreu durante a crise financeira mundial de 2008. A poucos dias de completar dois anos, as normas criadas pela Comissão Europeia continuam a desagradar grandes corporações, como Ford, IBM, General Electric, Volvo, Vodafone e outras.

No total, 40 empresas enviaram cartas à comissão para manifestar descontentamento, informa o jornal Financial Times. De acordo com as companhias, as exigências impostas são burocráticas, custosas e pouco efetivas. Os agentes de mercado reclamam, por exemplo, da necessidade de preenchimento de 80 campos diferentes nos documentos que enviam às autoridades sobre as operações — nos Estados Unidos, são 25. Além disso, os depósitos de margem exigidos seriam altos demais.

As corporações consideram o fardo injusto, uma vez que “sequer causaram a crise”. Muitas sugerem que a Europa se baseie no modelo americano (mais simples) para controlar as operações com derivativos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Derivativos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Longe do fim
Próxima matéria
O nome do jogo é escala



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Longe do fim
Em menos de dez anos, os acionistas da Petrobras passaram da euforia à desolação. Se, em 2007, comemoravam a descoberta...