Investidores da Enron já recuperaram cerca de US$ 7,1 bi

Governança / Edição 25 / 1 de setembro de 2005
Por 


Em 2002, cerca de um ano após o colapso da Enron, seus acionistas entraram com uma ação judicial coletiva contra vários intermediários do mercado financeiro, acusando-os de ajudarem a empresa a fraudá-los. Desde então, diversos acordos têm sido feitos com grandes bancos de investimento. O mais recente ocorreu no início de agosto com o canadense Canadian Imperial Bank of Commerce (CIBC), que se comprometeu a pagar US$ 2,4 bilhões aos antigos investidores da Enron. Anteriormente, o J.P. Morgan Chase já tinha aceitado pagar US$ 2,2 bilhões, enquanto o Citigroup havia fechado acordo no valor de US$ 2 bilhões. Somando esses montantes ao valor de acordos menores, como o da Lehman Brothers (US$ 220 milhões) e o do Bank of America (US$ 70 milhões), os investidores da Enron já conseguiram reaver cerca de US$ 7,1 bilhões.

E essa soma vai crescer ainda mais. Segundo a agência de notícias do website Yahoo, o Credit Suisse First Boston (CSFB) deve ser o próximo a ser forçado a fazer um grande acordo com os acionistas. O banco parece ter ficado em uma posição vulnerável por ter ajudado a Enron a estruturar uma série de sociedades de propósito específico que escondiam as dívidas da empresa controladora. A perspectiva é que o caso ainda vá gerar muitos recursos para os acionistas da Enron.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Caso Disney distingue boas práticas do que prevê a lei
Próxima matéria
Conselho de Administração




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Caso Disney distingue boas práticas do que prevê a lei
Os problemas de governança corporativa na Walt Disney há tempos ocupam o noticiário especializado. De um lado estão Michael...