Valores novos

Seletas / Editorial / Edição 54 / 28 de outubro de 2016
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão

Depois de sacudir a rotina dos escritórios de advocacia e dos gestores de patrimônio durante todo o ano, a lei de regularização de ativos não declarados mantidos no exterior promete, finalmente, trazer boas notícias. Desde o dia 19 de outubro, a poucos dias do fim do prazo para adesão, os recursos arrecadados com impostos e multas cobrados no programa saltaram de R$ 18,6 bilhões para R$ 33,1 bilhões, animando os planos do governo de forrar o cofre público, como mostra esta SELETAS. Os cálculos mais otimistas chegam a indicar algo em torno de R$ 80 bilhões em arrecadação — cifra que, se atingida, poderá enxugar quase à metade o gigantesco déficit do Tesouro.

O dinheiro ressurge de um lado, mas falta na economia como um todo — com reflexos que abatem, inclusive, os fundos de direitos creditórios. A inadimplência deflagrada pela crise fez com que a qualidade dos créditos se deteriorasse rapidamente, catapultando as provisões para devedores duvidosos.

Também nesta edição o diretor-executivo da Redpoint eventures, Anderson Thees, destaca as vantagens do investimento de venture capital na crise: os negócios das investidas costumam oferecer ganhos de eficiência e inovação, exatamente o que as empresas demandam em momentos difíceis. O resultado tende a ser um desempenho superior desses fundos em relação ao dos seus pares que investem em gente grande — o private equity.

A inovação, a propósito, é vista como uma das principais contribuições dos herdeiros da geração millennial aos seus grupos familiares, como mostra a matéria extraída do Grupo de Discussão sobre governança em empresas fechadas realizado no último dia 20. Nesse caso, inovar não significa apenas a aposta em produtos ou serviços revolucionários, mas também em uma visão diferente sobre o sentido do trabalho e o papel das organizações na sociedade. Inquietos, os millennials levam uma renovada bagagem de valores para as empresas. A sabedoria está em conciliá-los com as práticas acertadas das gerações anteriores — e não em sobrepô-los.



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  venture capital investimento editorial simone azevedo regularização de ativos Valores novos

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Recursos públicos sob poder privado
Próxima matéria
FIDCs sofrem com deterioração de crédito e baixo volume de captação




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Recursos públicos sob poder privado
Em recente texto que escrevi para esta coluna defendi a privatização das empresas estatais brasileiras como um dos meios...