Sem mágica

Editorial | Semana 15 a 19 de julho

Editorial / 12 de julho de 2019
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Antes bastante incomum — ou até mesmo estranho —, o adjetivodisruptivo” hoje não falta nos debates em torno do desenho de estratégias corporativas. Sob pena de ver o negócio naufragar diante do peso das novas tecnologias e soluções, as empresas já estabelecidas precisam encontrar maneiras de inovar. E para que as estruturas internas engessadas não impeçam esse movimento, uma saída pode estar no corporate venture. Os principais trechos de uma conversa entre especialistas a respeito do tema no Grupo de Discussão “Fundos de corporate venture como veículos para inovação aberta” são o conteúdo que abre a edição desta semana.

Outras mudanças, igualmente nada desprezíveis, estão relacionadas ao fim da tradicional taxa Libor, que serve de referência para uma enormidade de 350 trilhões de dólares em contratos no mundo todo. No espaço para articulistas, Gregory Harrington detalha o processo de substituição da Libor pela SOFR, a ser concluído até o fim de 2021. Um trabalho que certamente exigirá um tremendo esforço e numerosos cuidados.

Carlos Augusto Junqueira de Siqueira ampara sua crônica na observação de um fenômeno curioso: no Brasil, as profecias não costumam dar muito certo. De tempos em tempos, ele comenta, surge a expectativa em torno de algo com um quê de milagroso — os “temas” variam muito, passando por permissão de reeleição, privatizações, reformas dos mais variados tipos, mas a ideia é recorrente: quando forem adiante, vão fazer o Brasil crescer. E nada acontece ou persiste.

Muito longe das poções mágicas, Luciana Antonini Ribeiro trata de uma questão bastante concreta. Existe hoje no País um sem-número de médias empresas que todos os dias encontram soluções para problemas reais — e que, exatamente por isso, são relativamente imunes à dinâmica cíclica da economia brasileira. Elas precisam de apoio, com acesso a capital e networking. É a esse campo amplo que a nova integrante do time de colunistas da CAPITAL ABERTO, sócia da EB Capital, vai se dedicar.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Libor inovação corporate venture reforma da previdência SOFR Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Foco nas médias empresas que resolvem problemas
Próxima matéria
Profecias: no Brasil, elas costumam não dar muito certo



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Foco nas médias empresas que resolvem problemas
Conhece o leitor aquela reação infantil que surge quando vemos algo errado e não queremos olhar, para fugir de situações...