Sem diálogo

A truculência do governo federal ao editar, em julho, a Medida Provisória 685, sobre planejamento tributário, indignou muitas companhias. Sem ser discutida com o mercado, a regra deflagrou um clima de insegurança e revolta que ficou evidente no Grupo de Discussão sobre o tema realizado pela Capital …

Edição 3/Seletas/Editorial / 15 de dezembro de 2015
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


A truculência do governo federal ao editar, em julho, a Medida Provisória 685, sobre planejamento tributário, indignou muitas companhias. Sem ser discutida com o mercado, a regra deflagrou um clima de insegurança e revolta que ficou evidente no Grupo de Discussão sobre o tema realizado pela Capital Aberto no início deste mês. Nesta edição, algumas das reflexões feitas pelos participantes, que destacaram a dificuldade na busca de um diálogo com o governo diante do anseio de ajuste fiscal.

Diferentemente do que ocorre na esfera da Receita Federal, as conversas com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) têm sido produtivas. Está em curso na autarquia uma revisão das regras para as ofertas de ações com esforços restritos, motivada por queixas do mercado. Bancos e escritórios de advocacia pleiteiam a retirada de certas vedações que consideram “jabuticabas” desnecessárias, dentre elas a que impede as instituições financeiras de estabilizar os preços dos papéis emitidos.
O veto está sendo reconsiderado pela autarquia.

Enquanto os agentes tentam ajustar os instrumentos para capitalização das companhias, elas enfrentam o enxugamento de suas bases acionárias — e, como consequência, começam a remodelar sua estrutura de relações com investidores. Uni-la à área de planejamento estratégico, otimizando recursos humanos e desenvolvendo equipes multidisciplinares, é o caminho de algumas.

Também nesta edição, o colunista Raphael Martins analisa os riscos a que estão sujeitos os gestores de recursos atuantes em fundos éticos. E o reconhecido acadêmico Florêncio Lopez de Silanes explora a lacuna de financiamento para pequenas e médias empresas nos Estados Unidos e na Europa e sugere políticas públicas para solucionar o problema.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Criação de sistema de controle de HFT empaca nos EUA
Próxima matéria
Lemann, o malvado



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Criação de sistema de controle de HFT empaca nos EUA
A falta de empresas de tecnologia interessadas em assumir a tarefa e a burocracia está por trás da demora para a criação...