Nada é perfeito

Antigos pleitos do mercado foram atendidos recentemente, semeando um terreno fértil para quem lida com captação de recursos. No dia 1º de setembro, o Planalto sancionou a Lei 13.331, que autoriza as instituições financeiras a lançar títulos do agronegócio — como os CRAs — com cláusula de correção …

Seletas/Editorial/Edição 47 / 7 de setembro de 2016
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Antigos pleitos do mercado foram atendidos recentemente, semeando um terreno fértil para quem lida com captação de recursos. No dia 1º de setembro, o Planalto sancionou a Lei 13.331, que autoriza as instituições financeiras a lançar títulos do agronegócio — como os CRAs — com cláusula de correção pela variação cambial. A novidade tem potencial para fomentar ainda mais as emissões, mas desagradou em um ponto: os CRAs cambiais só podem ser adquiridos por investidores estrangeiros.

Os gestores de private equity também receberam boas notícias com a edição da Instrução 578 pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Agora, os FIPs podem aplicar recursos em debêntures simples e investir até 20% do capital subscrito fora do País — possibilidades que há muito tempo a indústria desejava. As mudanças, entretanto, podem não ter chegado na melhor hora. Além da crise, o estouro da Operação Greenfield mina a confiança do investidor que olha para esse tipo de investimento. Deflagrada na última segunda-feira, a operação investiga desvios de R$ 8 bilhões em fundos de pensão de estatais, decorrentes de aplicações feitas de forma fraudulenta e temerária em FIPs.

Ainda nesta edição, a repórter Mariana Segala trata de um assunto muito aguardado pelo mercado: o anúncio do plano de recuperação judicial da Oi. A proposta, que pode salvar a companhia de um buraco de R$ 65 bilhões, envolve soluções controversas e que, como é típico da Oi, desagradam os acionistas minoritários. E também como de costume, eles prometem não ficar calados.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  private equity FIP CRA Luciana Tanoue editorial operação Greenfield Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Regras para consultor de investimentos
Próxima matéria
Delaware recebe menos contestações de operações de M&A



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Regras para consultor de investimentos