E agora?

A semana curta, interrompida por feriado, expôs a dificuldade de se enxergar as próximas quadras do trajeto da economia brasileira. A bolsa de valores caiu no dia seguinte à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e voltou a baixar na quarta-feira (20) — embora …

Seletas/Editorial/Edição 27 / 20 de abril de 2016
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


A semana curta, interrompida por feriado, expôs a dificuldade de se enxergar as próximas quadras do trajeto da economia brasileira. A bolsa de valores caiu no dia seguinte à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e voltou a baixar na quarta-feira (20) — embora sustentando-se acima dos 52 mil pontos, patamar alcançado desde que clareadas as chances de impedimento. Como mostra a seção Na web desta edição, a dúvida agora gira em torno da legitimidade do vice Michel Temer para conduzir as ações que podem começar a desatolar a economia. O atalho de salvação passa a ser colocado em dúvida.

O que acontecerá entre o impedimento praticamente certo de Dilma e as próximas eleições, sejam elas em 2018 ou antes, definirá os acertos e erros dos investimentos até lá. Em uma prévia da seção Papo Aberto a ser publicada na edição maio/junho da capital aberto, o economista Eduardo Giannetti desenha cenários para um mandato-tampão bem e mal-sucedido de Temer. Reformas corajosas, segundo ele, precisarão ser empreendidas rapidamente, sob pena de enfrentarmos uma nova crise de governabilidade.

Enquanto isso, Dilma defende-se levando à ONU a tese de golpe, e os investidores mantêm o Brasil no quadrante da opacidade. Assim como a Argentina, o País carrega o risco de tudo mudar amanhã. A parte atrativa está nas barganhas geradas pelo real desvalorizado e pelo endividamento sufocante de muitas companhias, como mostra a seção Internacional.

Ainda no campo da invisibilidade, o empresário Daniel Birmann é alvo de investigação da Justiça federal para desvendar se ele é o controlador da Forjas Taurus. Se a resposta for sim, terão sido descobertos a identidade do dono da companhia de armamentos — até então oculta — e o endereço do destinatário de multas diversas aplicadas há anos pela Comissão de Valores Mobiliários. A proximidade da luz já deve estar incomodando o empresário.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Seletas editorial simone azevedo Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Bons de peleja
Próxima matéria
A odisseia do Brasil



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Bons de peleja
No dia 30 de dezembro de 2015, quando a maioria das pessoas só pensava nos festejos da virada do ano, a Oliveira Trust,...
estudo_aplicado_02-07

Promoção de aniversário

ASSINE O PLANO COMPLETO POR R$4,99 NOS TRÊS PRIMEIROS MESES!

{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}