A B3 acerta ao admitir superpreferenciais em nível diferenciado de governança?

Bimestral / Governança Corporativa / Antítese / Edição 155 / 7 de maio de 2017
Por  e
Sim, a B3 acertou ao admitir, no Nível 2, companhias que emitiram ações preferenciais cujos proventos são bem maiores que os pagos ao titular de ordinárias, as chamadas superPNs. A questão surgiu quando a Azul, ao pleitear seu registro de companhia emissora na CVM, teve seu pedido indeferido...

Este conteúdo é restrito a assinantes! Faça login >

paywall2 paywall

Se já é assinante, faça login:



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  Governança companhias abertas investimento Controle listagem segmentos especiais ações superpreferenciais B3

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Alquimias financeiras
Próxima matéria
Big Brother global




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Alquimias financeiras
Ao longo da história não faltaram alquimistas financeiros que procuraram contornar as leis matemáticas. Foram magos...