Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
XP eleva projeção para câmbio e inflação em 2024; dólar à vista recua mais de 1%
Para 2024, a projeção da corretora para o dólar passou para R$ 5,40, enquanto para a inflação foi para 3,8%
dólar, XP eleva projeção para câmbio e inflação em 2024; dólar à vista recua mais de 1%, Capital Aberto

Em meio à piora na percepção de risco sobre a condução da política monetária doméstica, a equipe econômica da XP alterou a projeção para o câmbio ao final de 2024 e para a inflação, conforme relatório publicado nesta quinta-feira (4). Além disso, o dia é positivo para o real em relação a moeda americana, após o governo anunciar medidas para conter os gastos.

Para 2024, a projeção da XP para o câmbio passou de R$ 5 para R$ 5,40, enquanto para o próximo ano, saiu de R$ 5 para R$ 5,15. Como consequência, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 3,7% para 3,8% este ano, praticamente em linha com o Boletim Focus do Banco Central. Para 2025, a inflação passou de 4% para 4,3%.

Além do câmbio mais depreciado, a demanda interna aquecida e petróleo em alta, sugerem uma pressão adicional de inflação a partir do segundo semestre deste ano, segundo a equipe econômica da corretora.

Por outro lado, o cenário para a taxa Selic se manteve estável em 10,50% até o final de 2025, com o Comitê de Política Monetária (Copom) mirando a convergência da inflação à meta até 2026. Na visão da equipe da XP, a barra para subir os juros é alta. No entanto, a corretora ressalta que isso possa vir a acontecer, caso a taxa de câmbio se estabilize significativamente acima do cenário base, levando as projeções de IPCA do Copom para bem acima da meta.

No caso do Produto Interno Bruto (PIB), a XP manteve a projeção de crescimento da economia brasileira de 2,2% em 2024 e de 1,7% no próximo ano. Na avaliação dos analistas, o mercado de trabalho aquecido sustenta a demanda no curto prazo.

Mudança de tom do governo agrada o mercado

Após flertar com os R$ 5,70 na véspera, o dólar à vista e o futuro desabam nesta quinta-feira (4), em meio a correção que beneficia a moeda de países emergentes e dá mudança de tom do governo sobre o corte público.

Ontem à noite, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o governo enviará ao Congresso a proposta de Orçamento para 2025 com previsão de corte de R$ 25,9 bilhões em despesas obrigatórias, inclusive passando um pente-fino em programas sociais.

O ministro ressaltou ainda que o presidente Lula determinou que o novo arcabouço fiscal seja cumprido em 2024, 2025 e 2026. De acordo com Haddad, a equipe econômica deve anunciar um congelamento de recursos até o fim do mês para alcançar a meta este ano.

Com isso, o mercado se animou com a nova diretriz do governo, com dólar batendo o menor nível em mais de uma semana. Há pouco, o dólar à vista recuava 1,20%, a R$ 5,49, enquanto o dólar futuro era cotado a R$ 5,50, uma queda de 1,08%.

No exterior, o índice de DXY, que mede o dólar ante uma cesta de moedas, operava em baixa de 0,24%, a 105,14 pontos.

Leia Mais: Emissões de bonds superam US$ 15 bi e terão um segundo semestre com menos oportunidades


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 9,90/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.