Regras do Banco Central para as fintechs de crédito

Os impactos da regulamentação do BC sobre as startups financeiras

Informações de Apoio / 2 de julho de 2018
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


 

 

 

Programação

 

O Banco Central (BC) aprovou, no último dia 26 de abril, duas resoluções — de números 4.656 e 4.657 — que regulamentam as fintechs de crédito no Brasil. De acordo com as novas regras, essas startups podem atuar como sociedades de crédito direto (SCD) ou sociedades de empréstimo entre pessoas (SEP). No primeiro modelo, as operações são viabilizadas por meio de plataforma eletrônica com capital próprio da startup. Já no segundo as plataformas conectam investidores dispostos a emprestar dinheiro mediante o recebimento de uma taxa de retorno a tomadores de crédito — modalidade conhecida em inglês como peer-to-peer lending. Quais regras se aplicam a cada um desses modelos? Quais deveres e oportunidades a regulamentação do BC cria para as fintechs de crédito? Qual a avaliação das startups sobre as regras impostas pelo regulador? Quanto as mudanças podem fomentar o setor de crédito no Brasil e afetar os spreads bancários? Essas e outras questões serão debatidas neste workshop. Participe!

 

8h00 – 8h30

Café de boas vindas

 

8h30 – 9h30

Painel 1

A regulamentação do BC para as fintechs de crédito

 

José Luiz Homem de Mello

Sócio do Pinheiro Neto Advogados desde 2005, especializado em corporate finance (transações financeiras, assuntos regulatórios, mercado de capitais e operações de M&A). É recomendado na sua área de atuação por diversas publicações especializadas. Integrou o Foreign Lawyers Program do escritório Sullivan & Cromwell em Nova Iorque (2000-2001). Membro do Comitê de Governança Corporativa de Instituições Financeiras do IBGC e do Comitê Técnico do IBRI.
LL.M. da University of Chicago (2000), MBA Executivo em Finanças pelo Insper-SP (1997), Direito pela PUC-SP (1994) e Administração pela EAESP-FGV (1994).

 

Apresentação

 

9h30 – 10h30

Painel 2

Panorama do setor no País e oportunidades geradas para as plataformas

 

Bruno Reis

Fundador e CEO da Ali Crédito, tem 22 anos de experiencia no mercado de serviços financeiros, M&A e operações, focado em novos negócios na América Latina e EUA. Mestre pela Universidade de Stanford/EUA, teve carreira em posições de diretoria ou vice-presidência de empresas como Citibank, Oracle, SAP, Giesecke & Devrient, Click e Neoway.

 

Apresentação

 

10h30 – 11h

Intervalo para café

 

 11h – 12h

Debate

Além dos painelistas, participarão do debate:

 

Fábio Neufeld

CEO e Founder da Kavod Lending e membro da ABFintechs. Atuou em empresas como Itaú, Deli Deli e Rabobank. Graduado em Administração de Empresas pela FGV, MBA em Finanças pelo Insper e MBA em Empreendedorismo, Networks pela University of Virginia Darden School of Business.

 

.

Daniel Murrer Gomes

Cofundador da Nexoos, startup que está revolucionando o setor de crédito no Brasil. Apaixonado por empreendedorismo e tecnologia, especialmente a FinTech. Eu trabalhei no setor financeiro durante vários anos. Primeiro no Itaú-Unibanco e depois na Rio Bravo Advisory, onde atuou em Project Finance e Fusões e Aquisições. Graduado em Engenharia Elétrica pela USP e pós-graduado em Empreendedorismo Tecnológico em Mestrado na UCL (University College London). 

Rubens de Camargo Vidigal Neto (Moderador)

Sócio do PVG Advogados, coordenador da Comissão de Direito Financeiro do IBRADEMP – Instituto Brasileiro de Direito Empresarial. Graduado em Direito pela USP, pós-graduação em Administração de Empresas pela FGV.

 

Theodoro Prado

Atual gerente geral do grupo Biva, do qual faz parte desde as primeiras operações. Fez parte da estruturação do produto em termos de aspectos regulatórios a de modelagem financeira; foi responsável, posteriormente, pela área financeira e de novos negócios. Graduado em administração de empresas pelo Instituto de Ensino e Pesquisa – INSPER-SP.

 

 Participantes

Ana Lidia Salvatore Schulz Frehse – Pinheiro Neto Advogados

Alessandra Boin – Themudo Lessa Advogados

Bruno Prado – Bank of America Merrill Lynch

Bruno Reis – Ali Crédito

Carlos Gamboa – Fisher Venture Builder

Celio Fernando Bezerra Melo – Bfa Assessoria em Financas e Negocios Ltda

Ceres Lisboa – Moody’s América Latina

Daniel Murrer Gomes – Nexoos

Eduardo Simões Fleury – FCR Law

Eliane Herika Tanaka – Banco do Brasil

Fábio Neufeld – Kavod Lending

Francisco Eduardo de Queiroz Ferreira – Ancord

Gabriela Ponte Machado – Pinheiro Guimarães

Guilherme Anderson Lomonico – Cepeda Greco & Bandeira de Mello Advogados

Helio Moraes – Pinhão e Koiffman Advogados

José Luiz Homem de Mello – Pinheiro Neto

José Ribeiro – VBSO Advogados

Leonardo Ferreira – HSI – Hemisfério Sul Investimentos

Luis Bellini – Madrona Advogados

Manuela Loeser – Softplan

Mario Alves Brilhante – A4 & Holofote Comunicação

Milena Casado de Oliveira – Pinheiro Guimarães e Meissner Sociedade de Advogados

Otávio Borsato – Barcellos Tucunduva Advogados

Pedro Pereira – Bank of America Merrill Lynch

Rayane Santos – HAFIKI Comunicação

Regio Martins – B3

Renato Coelho – Go.Credit

Ricardo Artur Spezia – Next Auditores Independentes

Roberta Hanna Rached – CaselliNavarro

Rubens de Camargo Vidigal Neto – PVG Advogados

Sergio Ramos Yoshino – Pinheiro Guimarães e Meissner Sociedade de Advogados

Simone Azevedo – Capital Aberto

Thais de Gobbi – Machado Meyer

Theodoro Prado – Biva

Thiago Brehmer – Grant Thornton

Vader Machado Miranda – Banco Estado Rio Grande do Sul

Wagner Rosa – Ancord

Avaliação do evento

Acesse o formulário de avaliação clicando aqui.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Banco Central regulação Startups empréstimo Fintechs spread bancário resolução 4.656 resolução 4.657 fintechs de crédito Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Agenda transformadora
Próxima matéria
Novos tempos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Agenda transformadora
Patrocínio   Programação Em setembro de 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu os chamados...