O valor da economia florestal

Os desafios das grandes companhias ao investir em startups

Informações de Apoio / 7 de agosto de 2018
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Patrocínio

 

 

Programação

O combate ao desmatamento é crucial para o atendimento das ambições internacionais de prevenção a mudanças climáticas perigosas. Estima-se que a degradação das florestas responda por 15% das emissões mundiais de gases de efeito estufa — percentual equivalente ao produzido por todos os carros e caminhões globalmente. Não à toa, governos, terceiro setor, companhias e investidores têm acompanhando de perto o assunto e buscado formas de contribuir para a preservação das florestas — ação fundamental para que a temperatura média global não suba para além de 2ºC, o que, segundo especialistas, poderia gerar um colapso socioeconômico sem precedentes. Como esses públicos podem dialogar e trabalhar juntos para mitigar impactos ligados ao desmatamento? O que as companhias têm feito para gerir e mensurar o risco de degradação florestal nas suas operações e cadeia de valor? Quais oportunidades elas enxergam na proteção das florestas? Na visão dos investidores, as empresas têm dado atenção suficiente aos riscos de desmatamento? Como eles têm se engajado no tema e contribuído para uma economia de baixo carbono? Essas e outras questões serão debatidas nesse Grupo de Discussão.

 

 

8h15 – 9h00

Café da manhã

 

9h00 – 11h00

Debate

 

André Guimarães

Atual Diretor Executivo do IPAM, e cofacilitador da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, agrônomo, formado pela Universidade de Brasília. Foi vice-presidente de Desenvolvimento da Conservation International (CI) da divisão Américas, onde supervisionou a operação em dez países da América Latina. Fundou e dirigiu a Brasil Florestas, empresa que focou na implantação de produtos florestais como serviços ambientais. Foi coordenador de Relações com o Setor Privado no Banco Mundial, no programa Piloto das Florestas Tropicais e Diretor da A2R Fundos Ambientais. Também dirigiu entidades do terceiro setor, como o Instituto BioAtlântica (IBio) e IMAZON.

 

 

Carlos Rittl

Secretário executivo no Observatório do Clima. Possui 23 anos de trajetória na área ambiental, e, desde 2005, trabalha na agenda de mudanças climáticas. Entre 2005 e 2007, estruturou e liderou a Campanha de Clima do Greenpeace Brasil e entre 2009 e 2013 coordenou o Programa de Mudanças Climáticas e Energia do WWF Brasil. É administrador, formado pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas, e mestre e doutor em biologia tropical e recursos naturais, pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

 

 

Christopher Stephan Wells

Coordena o GT de Terrenos Contaminados da Federação de Bancos Brasileiros (Febraban). Desde 2002, gerencia a área de risco socioambiental, que analisa clientes e projetos financiados pelo Santander Brasil. É membro do Conselho Diretor do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS). Foi Presidente da Roundtable on Responsible Soy Association entre 2006 e 2009.  Foi membro do “Stakeholder Council” da Global Reporting Initiative (GRI) entre 2003 e 2007. Antes de ingressar no Santander (via Banco Real), trabalhou no Unibanco, onde desenvolveu um serviço de pesquisa socioambiental sobre empresas cotadas em bolsa. Entre 1992 e 1998, foi diretor executivo do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), uma associação sem fins lucrativos dedicada à promoção da reciclagem do lixo.  Foi representante do Brasil nas negociações internacionais sobre as normas da série ISO 14000 sobre rotulagem ambiental. Possui bacharelado em Ciências Políticas da Columbia University e MBA da New York University.

 

Danielle Carreira

Senior Manager of Environmental Issues na PRI, já atuou na Natural Capital Financial Alliance, onde foi responsável pelo gerenciamento e implementação de programas de trabalho que ajudam as instituições financeiras a cumprir compromissos para entender e integrar considerações de capital natural em produtos e serviços financeiros. Anteriormente, foi diretora de contas da Trucost, responsável pela gestão e entrega de projetos de pesquisa para o setor financeiro em uma ampla gama de questões ambientais temáticas importantes. Trabalhou também na FTSE Russel, envolvendo empresas globais em questões ambientais, sociais e de governança. Danielle é mestre em Finanças Internacionais e bacharel em Ciências Econômicas.

 

 

David Canassa

Diretor da empresa Reservas Votorantim, que administra duas reservas privadas: o Legado das Águas, em São Paulo, maior reserva privada de mata atlântica do país, e o Legado Verdes do Cerrado, em Goiás. Mestre em Eficiência Energética, com MBA’s em Sustentabilidade, Gestão de Empresas e Meio Ambiente e Conselheiro do Conselho Superior de Meio Ambiente da FIESP.

 

Fabíola Zerbini

Coordenadora regional do TFA 2020 – Tropical Forest Alliance, uma aliança público privada que atua em prol do desmatamento zero associado à produção de commodities. Atua na promoção de cadeias produtivas responsáveis dede 2002, inicialmente como Secretária Executiva do FACES do Brasil – Plataforma pelo Comércio Justo e Solidário, depois como Diretora Executiva do FSC Brasil – Forest Stewardship Council. Advogada, Doutora em Ciência Ambiental pelo PROCAM/USP.

 

 

Lorraine Smith

Escritora e consultora independente, Lorraine prestou consultoria a grandes agentes de mudança e grandes empresas desde 2004, informando a estratégia e o diálogo com as partes interessadas para nos levar a uma economia regeneradora. Ela também é palestrante frequente em conferências sobre sustentabilidade e inovação corporativa. É membro no Conselho Consultivo de Sustentabilidade da Fibria, uma grande empresa brasileira de produtos florestais. Ela também apoiou recentemente o desenho e a entrega de diálogos em nome de influenciadores da indústria, como o Programa de Negócios e Sociedade do Instituto Aspen e a associação da indústria florestal brasileira, Ibá. Ocupou cargos importantes na SustainAbility e na Canadian Business for Social Responsibility, onde agora faz parte do conselho; Ela também participa do Conselho de Revisão do Benchmark do Future Fit Business.

 

 

Rebeca Lima

Gerente de Corporates & Supply Chain do CDP América Latina. Coordenou por anos o desenho e a implementação de projetos de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal na Amazônia Brasileira, acompanhando fóruns estaduais, nacionais e internacionais de discussões no tema. Iniciou sua jornada no CDP com o objetivo de apoiar a implementação de políticas e práticas de monitoramento de desmatamento em cadeias de valor na América Latina, e hoje lidera o relacionamento com empresas do CDP, apoiando empresas na américa Latina a desenvolverem suas estratégias em Mudanças Climáticas, Água e Florestas.

 


Apresentação

 

 

Participantes

 

Abdias Machado – Walmart

André Guimarães – IPAM

Ariana Pavan – Claritas Investimentos

Beatriz Freitas – Banco BTG Pactual

Camila Yamahaki

Carla Schuchmann – SITAWI

Carlos Rittl – Observatório do Clima

Carolina de Almeida Castelo Branco – Machado Meyer Sendacz e Opice Advogados

Christopher Stephan Wells – Febraban

Ciniro Costa Junior – IMAFLORA

Daniele Rosa    

Danielle Carreira – PRI

David Canassa – Reservas Votorantim

Eduardo Barreto – Fredericks Michael

Fabiana Maia – Instituto Terra Luminous

Fabiola Zerbini – TFA 2020 – Tropical Forest Alliance

Gabriel Aldana – Capital Aberto

Gabriela Mugnol – SITAWI

Helton Vieira da Silva Lopes – Claritas Administração de Recursos

Hugo de Carvalho – CDP

Jeison Schmidt Carmona Alcaraz – Votorantim

Juliana Campos Lopes – CDP Latin America

Juliana Tinoco – Partnerships for Forests

Laura Jungman – CDP

Leticia Yumi Marques – Peixoto & Cury Advogados

Lorraine Smith – Volans

Luzia Hirata – Santander Asset Management

Marcelo Rodrigues – Pulsar Invest

Marcelo Stabile – IPAM

Maria Eugênia Buosi – RESULTANTE

Mario Luiz – Emae Empresa Metropolitana de Águas e Energia

Olívia Andreolli Gonçalves         

Patrícia Dantas – Fleishamann Comunicação

Pedro Bara-Neto – Basscon

Rebeca Lima – CDP

Roberto Lombardi de Barros – Four T

Simone Azevedo – Capital Aberto

Tatiana Assali – RESULTANTE

Yuri Rugai Marinho – Eccon Soluções Ambientais

 

Avaliação do evento

 

Acesse o formulário de avaliação clicando aqui.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  sustentabilidade responsabilidade social ODS objetivos do desenvo Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Pronta para deslanchar
Próxima matéria
Governança Explicada



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Pronta para deslanchar
      Programação No último dia 4 de maio, o Banco Central (BC) concluiu a regulamentação...