Negócios da China

O que esperar dos investimentos chineses em ativos brasileiros

Informações de Apoio / 24 de novembro de 2017
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Patrocínio

 

 

Programação

 

Maiores parceiros comerciais do Brasil desde 2009, os chineses vêm movimentando as negociações de M&A. De acordo com dados da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China, esses investidores planejam alocar cerca de 20 bilhões de dólares na aquisição de ativos brasileiros neste ano, montante 87% maior ao de 2016. Para que esse dinheiro seja de fato desembolsado, porém, é preciso que, além de oportunidades de compra, haja um ambiente regulatório e legal favorável ao êxito das operações. Na visão dos chineses, a complexidade do sistema jurídico brasileiro é um desafio para a concretização de negócios. Diante disso, podemos esperar um crescimento no montante de investimentos chineses em 2018? Quais obstáculos precisam ser superados para que um número maior de negócios aconteça? Que tipos de ativos eles procuram e qual o nível de apetite para risco? Empresas endividadas, envolvidas em escândalos de corrupção ou com grande exposição ao governo estão no seu radar? Essas e outras questões serão propostas e debatidas no Grupo de Discussão M&A e Private Equity. Participe!

 

8h15 – 9h00

 

Café da manhã

 

9h00 – 11h00

 

Debate com convidados

 

Alan do Amaral Fernandes

Administrador executivo do Haitong, grupo do qual faz parte desde 2007 e membro do conselho de administração da EBP – Estruturadora Brasileira de Projetos desde agosto de 2008. Possui mais de 27 anos de experiência no setor financeiro, tendo desenvolvido a sua experiência profissional em operações de fusões e aquisições, project finance e capital markets com empresas de diferentes setores e porte econômico.Trabalhou anteriormente no Banco Itaú, Banco Itaú BBA, Unibanco, Algar Telecom, Deloitte e BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Cursou Engenharia Aeronáutica no ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica e Engenharia de Produção na Universidade Federal do Rio de Janeiro e fez especialização na área de Finanças pelo IBMEC. Atuou como professor convidado do MBA mantido pela FIPE, ligado à Universidade de São Paulo – USP.

 

 Diogo Castro e Silva

Diretor geral do Grupo Fosun para o mercado brasileiro desde novembro de 2015. Antes do Grupo Fosun, fundou a Nostrum Partners e atuou como vice-presidente executivo do Banco Caixa Geral Brasil. Entre 2006 e 2009 foi gerente de investimentos sênior no International Finance Corporation. Pós-graduado em economia na University of London e é formado em economia na Universidade Nova de Lisboa e completou programas executivos na Columbia Business School e na Harvard Kennedy School. E em 2018, terá o MBA Executivo na IMD Business School.

 

 


Fernanda Barroso

Diretora geral da operação brasileira da Kroll.  Antes da Kroll, colaborou em cargos estratégicos por mais de 10 anos em bancos comerciais, privados, empresas de private equity e departamentos governamentais. Formada em finanças e jornalismo e pós-graduada em economia e análise quantitativa, possui extensa experiência em serviços como investigações financeiras, contabilidade forense, serviços anticorrupção, business intelligence, due diligence, apoio a litígios e gerenciamento de crises.

 

Guilherme Bueno Malouf

Sócio do Machado Meyer Advogados e membro do Comitê Regulatório da Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital.  Especialista em operações de fusões e aquisições, investimentos de private equity e constituição de fundos de investimento. Seu trabalho envolve ainda a coordenação de auditoria jurídica, elaboração e negociação de contratos de compra e venda, acordos de investimento e acordos de acionistas. Também assessora gestores e investidores na elaboração e negociação de regulação de fundos de investimento estruturados, notadamente Fundos de Investimento em Participações (FIP), Fundos de Investimento Imobiliário (FII) e Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC). Tem experiência nos segmentos de alimentos e bebidas, cimento, serviços de segurança, imobiliário, energia, serviços, tecnologia e varejo. Formou-se em direito pela PUC – SP. Dentre seus reconhecimentos recentes, destacou-se como “leading lawyer” pelo guia IFLR1000, edição 2018.

 

Acessar a apresentação

 

 


In Hseih

CEO da China-Brazil Internet Promotion Agency (CBIPA), responsável pelos negócios e investimentos em tecnologia entre Brasil e China (maior mercado de ecommerce, mobile payment e games do mundo), e está no mercado desde 1999 com a startup do Submarino. Antes, foi head de e-commerce Latam da Xiaomi, unicórnio chinês com valuation de US$ 45 bilhões, co-fundador da 4vets e Baby.com.br, startup do ano de 2012 pela PEGN, e mais de US$ 30 milhões em capital de risco.

 

Paulo de Tarso Jr.

Paulo de Tarso atua na Deloitte desde agosto de 1999 e hoje é sócio-líder no Brasil do Chinese Services Group e da área de inovação em auditoria da firma. Está locado no escritório de Campinas (SP) e tem passagens pela unidade de São Paulo, além de Vancouver e Toronto (Canadá). Dedica-se ao atendimento de empresas de diversas áreas, como manufatura, consumo e infraestrutura.

 

 

Participantes

Alan Fernandes – Haitong Banco de Investimento do Brasil

Aleixo Jose Vaquero Junior – Quata Confidence Capital

Alessandra Ceccon – Capital Aberto

Ana Elisa Bacha Lamounier – Sparks Capital

Andrea Jurse – EMIS

Antonio Dabus – Trinity investimentos

Augusto Gitirana – Slaf

Charles Chuu Matias – Rayes & Fagundes Advogados Associados

Charles Lagana Putz – Rio Bravo Investimentos

Claudia Mancini – MSL Publicis Consultants

Daniel Rivera – Elit Capital

Daniel Zilberknop – Unigel

Diogo Castro e Silva – Fosun Group

Eliane Herika Tanaka – Banco do Brasil

Elvis Camargo Silva de Brong Mattar – Navarro Advogados

Fabiane Goldstein – Mbs Value Partners

Fátima Laplaca – GAG Investimentos

Fernanda Barroso – Kroll

Gilberto Gonçalves – GAG Investimentos

Guilherme Bueno Malouf – Machado Meyer Advogados

In Hsieh – China-Brazil Internet Promotion Agency (CBIPA)

Jair Lemes Goncalves Neto – Brava Capital

Jorge Farah Elias – Interativa Investimentos

Jose Roberto Securato Junior – Saint Paul Advisors & Saint Paul Capital Partners

Luis Otavio Rodeguero – K+R Capital

Mara Limonge Macêdo – Atitude Serviços de Mão de Obra EIRELI-ME

Maria Tereza Tedde de Moraes – Gouveia, Silveira e Tannous Advogados

Marta Dourado Fundamento – Kroll

Mitchel Diniz – Capital Aberto

Moema Ferrari – Kroll

Paulo de Tarso Pereira Jr. – Deloitte

Peter Jose Jancso – Jardim Botanico Investimentos

Rafael de Moraes Amorim – Vieira Rezende Barbosa e Guerreiro Advogados – SP

Rafael Vieira Monteoliva Doratioto – China Construction Bank (Brasil)

Raul Ciarelli – Focal Capital

Rene Sanda – FGC

Roberto Barbuti – Banco Safra

Rodrigo Kleim – BF Capital

Said Khaled Yassine – HSI – Hemisfério Sul Investimentos

Simone Azevedo – Capital Aberto

Vanessa Maebara – EMIS

Vinin Li – Deloitte

 

 

Avaliação do evento

Acesse o formulário de avaliação clicando aqui.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Reputação abalada
Próxima matéria
Compliance colaborativo




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Reputação abalada
Patrocínio    Programação  Em sua 45o fase, a Operação Lava Jato colocou...