Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.
Powell sinaliza adiamento de corte de juros após surpresas na inflação
O presidente do Fed disse ser apropriado dar mais tempo para a política surtir efeito. Banco central pode manter as taxas estáveis por "o tempo que for necessário"
Powell, Powell sinaliza adiamento de corte de juros após surpresas na inflação, Capital Aberto
Fonte:FED

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, sinalizou que o banco central americano deve esperar mais do que o previsto anteriormente para cortar as taxas de juros após uma série de leituras de inflação surpreendentemente altas.

Segundo ele, não houve progresso adicional na inflação depois da rápida queda vista no final do ano passado. Powell ressalta que provavelmente levará mais tempo para os funcionários ganharem a confiança necessária de que o crescimento dos preços está se encaminhando para a meta de 2% antes de reduzir os custos de empréstimos.

Se as pressões sobre os preços persistirem, ele disse, o Fed pode manter as taxas estáveis por “o tempo que for necessário”.


Saiba tudo sobre emissão de ações e títulos de dívidas no curso Resolução 160


“Os dados recentes claramente não nos deram maior confiança e, em vez disso, indicam que provavelmente levará mais tempo do que o esperado para alcançar essa confiança”, disse Powell nesta terça-feira (10), durante participação em painel ao lado do governador do Banco do Canadá, Tiff Macklem, no Wilson Center em Washington.

“Dada a força do mercado de trabalho e o progresso na inflação até agora, é apropriado permitir que a política restritiva tenha mais tempo para funcionar e deixar os dados e a perspectiva em evolução nos guiar”, acrescentou.

As observações de Powell representam uma mudança em sua mensagem após o terceiro mês consecutivo em que uma medida chave da inflação superou as previsões dos analistas. Também mostra que os funcionários veem pouca urgência em cortar as taxas e sugere que quaisquer reduções em 2024 podem ocorrer relativamente tarde no ano, se ocorrerem.

Os formuladores de políticas traçaram estreitamente três cortes de taxa de juros nas previsões publicadas em março, mas os investidores agora estão apostando em apenas dois cortes este ano, mostram os mercados futuros. O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) vai se reunir para definir as taxas de juros de 30 de abril a 1º de maio.

“Sua confiança foi abalada”, disse Kathy Bostjancic, economista-chefe da Nationwide Mutual Insurance Co. “Ele confirmou e enfatizou o que os mercados já estavam precificando com base nos dados econômicos”.

Os rendimentos do Tesouro atingiram máximas do ano — com o rendimento da nota de dois anos ultrapassando 5% e alcançando o nível mais alto desde novembro — após Powell sinalizar que o Fed não está com pressa para cortar as taxas.

A economia dos EUA continua a surpreender os funcionários do Fed com sua resiliência. Os empregadores adicionaram mais de 300.000 empregos em março — o maior número em quase um ano — e as vendas no varejo superaram as expectativas. Essa força coincidiu com um aumento nas pressões sobre os preços em 2024, levantando preocupações sobre uma estagnação no progresso em direção à meta de inflação do banco central.

Mais cedo, o vice-presidente do Fed, Philip Jefferson, disse esperar que a inflação continue a se moderar com as taxas de juros em seu nível atual, mas pressões persistentes sobre os preços justificariam manter os custos de empréstimos altos por mais tempo. O presidente do Fed de Richmond, Thomas Barkin, afirmou que alguns dados recentes, incluindo o índice de preços ao consumidor, não “foram favoráveis” a um pouso suave.


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.