Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.
Ideia de ‘nenhum pouso’ ganha força na economia americana
Preocupações sobre taxas de juros mais altas por um período prolongado cresceram desde o relatório da inflação dos Estados Unidos
pouso suave, Ideia de ‘nenhum pouso’ ganha força na economia americana, Capital Aberto

Os mercados continuam em alerta após o relatório de inflação preocupante divulgado nesta terça-feira (13), à medida que Wall Street diminuiu drasticamente as chances de cortes de juros iminentes.

Isso também jogou um balde de água fria na crença de muitos investidores de que a economia dos EUA alcançaria um “pouso suave” (ou “soft landing”, em inglês). A ideia de que a economia não vai desacelerar, o que é importante para o início do afrouxamento da política monetária, começa a ganhar adeptos. Na prática, o mercado começa a analisar o cenário de “nenhum pouso”.

Por que tanta preocupação?

O relatório do Índice de Preços ao Consumidor dos EUA, que superou as previsões dos economistas, é um lembrete contundente dos desafios que o Federal Reserve Bank (Fed) enfrenta para reduzir a inflação à meta de 2%. Mesmo após excluir os preços voláteis de energia e alimentos, a inflação permanece mais ou menos estável e está bem acima do nível em que o banco central esperava.

Os custos de habitação, incluindo aluguéis, também aumentaram acima das expectativas, assim como a “supercore inflation”, um termo que se refere à alta de preços causada pela melhor remuneração dos trabalhadores por seus serviços, que é uma medida acompanhada de perto pelo Fed. Esse dado subiu 4,3% em relação ao ano anterior, seu nível mais alto desde maio, segundo dados do Deutsche Bank.

Os mercados reagem

Investidores venderam títulos do Tesouro americano na terça-feira devido ao receio de que o Fed mantivesse os custos de empréstimos mais altos por mais tempo. Isso fez com que o Russell 2000, um dos índices de ações do mercado americano, caísse quase 4%, seu pior recuo em 20 meses.

O mercado futuro nesta quarta-feira (14) está precificando de três a quatro cortes de juros este ano, abaixo dos seis a sete projetados no início de 2024, praticamente silenciando os otimistas em relação aos cortes. Tais previsões “não faziam sentido em nossa opinião”, escreveu Mohit Kumar, economista do Jefferies, em um comunicado.

A perspectiva de inflação mais alta está pesando sobre os consumidores e proprietários de pequenas empresas.

Enquanto isso, Krispy Kreme, Coca-Cola e Heineken alertaram nesta semana que a inflação persistente poderia prejudicar seus ganhos.

Cenário econômico indesejado no horizonte

No caso de um “pouso suave”, a inflação diminuiria para a meta do Fed, enquanto os salários e a economia cresceriam. E há o cenário de “nenhum pouso”, uma preocupação crescente em Wall Street que prevê crescimento, mas com inflação acima do normal.

Alguns observadores econômicos agora estão alertando para tempos mais turbulentos à frente. “Embora o resultado de um pouso suave ainda esteja predominante, eu diria que um cenário de nenhum pouso está subestimado”, escreveu Jim Reid, estrategista do Deutsche Bank, aos investidores na quarta-feira.


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.