Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
BofA condiciona corte no juro americano em dezembro à desinflação de serviços
Na visão do banco, uma deterioração da atividade econômica também poderá levar o banco central americano a cortar as taxas
BofA, BofA condiciona corte no juro americano em dezembro à desinflação de serviços, Capital Aberto

O Bank of America (BofA) acredita que o Federal Reserve (Fed) deve começar a cortar a taxa de juros em dezembro, caso haja uma desinflação no setor de serviços, uma vez que este item deve dar uma maior confiança para a autarquia, em vez da deflação no setor de bens.

“(Uma) descida significativa da inflação global em termos homólogos reforçaria os argumentos a favor dos cortes, embora isso pareça improvável, dados os efeitos de base desfavoráveis ​​nos próximos meses”, explicam os analistas do banco.

Em relatório divulgado nesta sexta-feira (24), a instituição ressalta que a deterioração da atividade econômica também poderá desencadear cortes nas taxas, já que o presidente do Fed, Jerome Powell, argumentou que, caso a inflação do PCE fique abaixo de 3%, o início de corte nas taxas pode iniciar.

“Enquanto a inflação tiver um controle duplo, pensamos que o Fed poderá cortar se o crescimento da folha de pagamento cair abaixo de 100 mil ou se a taxa de desemprego subir bem acima de 4% durante alguns meses”, diz trecho do relatório do BofA.

Leia também:

Inflação pressiona e ata do Fed indica juro alto por mais tempo

Na visão da instituição, a queda da inflação indicaria que a procura (por emprego) está começando a ceder, dando luz verde a um ciclo de cortes prolongado. No entanto, caso a inflação apresente um movimento lateralizado, o Fed poderá optar por “cortes nos seguros” – com um rápido ciclo de cortes de 50 a 100 pontos-base.

“Continuamos a acreditar que aumentos adicionais das taxas (juros) são o resultado menos provável, mesmo que os dados recentes sobre a inflação tenham tornado a possibilidade de aumentos menos remota”, explica o banco, acrescentando que seria necessário um aumento significativo na inflação para que o Fed avalie essa alternativa.


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.