Equity crowdfunding na prática

Workshop sobre equity crowdfunding realizado em 25 de junho de 2015

Workshop / 25 de junho de 2015
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão

Popular nos Estados Unidos e na Europa, essa modalidade de captação de recursos tem crescido de forma acelerada no mundo. Somente no ano passado, empresas e indivíduos captaram US$ 16,2 bilhões por meio de financiamento coletivo. O número, divulgado em março pela consultoria Massolution, representa um aumento de 167% em relação a 2013. No Brasil, o equity crowdfunding virou realidade em outubro de 2014, quando a primeira plataforma de financiamento coletivo por ações foi inaugurada no País. De lá para cá, mais de R$ 2 milhões foram investidos em diversos projetos com a participação de 240 investidores. Neste workshop discutimos a evolução do equity crowdfunding, as novidades regulatórias em relação ao tema no Brasil e no mundo e conhecer as experiências de companhias que conseguiram se capitalizar por meio de financiamento coletivo.

No primeiro bloco, tivemos apresentações com os seguintes temas:

• O que é o equity crowdfunding, as experiências internacionais e tendências da regulação no exterior por Walter Pellecchia Neto, advogado do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice

• Caminhos da regulação no Brasil: estudos para uma instrução voltada a disciplinar o equity crowdfunding por Antonio Carlos Berwanger, superintendente de desenvolvimento de mercado da CVM.

• A experiência da Broota, primeira plataforma de equity crowdfunding do Brasil por Frederico Rizzo, fundador da Broota.

• A experiência de quem já captou e investiu. Neste painel, detalhamos a oferta da Bougue, criada para facilitar o processo de busca e contratação de profissionais para reformas. A empresa abriu uma rodada de captação on-line de R$ 1,2 milhão, liderada por Fabio Póvoa, com co-investimento da RedPoint e.Ventures, um dos maiores fundos de venture capital presentes no Brasil. Palestraram também Fernando Canuto fundador da Bougue e Rodrigo Baer, gestor do fundo de venture capital Redpoint e.Ventures.

No segundo bloco, foi realizado um debate entre palestrantes e convidados com o tema: “A experiência de quem já captou e investiu” com moderação de Luciana Tanoue, editora da Capital Aberto.

Debatedores:
Adolfo Menezes Melito, presidente da Associação Brasileira de Equity Crowdfunding
Caio Crósta, sócio do Torres Sociedade de Advogados
Flavio Augusto Picchi, bacharel e mestre em direito internacional pela USP e sócio de Picchi Estúdio Jurídico

Fotos: Régis Filho

rodape



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie



Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Melhores práticas para estruturação de projetos no setor
Próxima matéria
Avalie o Burn Rate antes de Investir na Startup




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Melhores práticas para estruturação de projetos no setor
A CAPITAL ABERTO realizou no dia 19 de Junho de 2015 a primeira edição temática do Círculo de Debates, sobre Infraestrutura,...