A ASCENSÃO DOS ROBÔS

O que esperar do crescimento da automatização de processos na área fiscal

O ambiente tributário brasileiro é cada vez mais desafiador para as empresas. De um lado, o Fisco, bastante rigoroso no seu trabalho de fiscalização, detém um volume gigantesco de dados bem organizados e é altamente informatizado. De outro, empresas enfrentam pressão para rever custos e promover melhorias qualitativas em sua gestão fiscal. Nesse ambiente, a automação de processos por meio de robôs de plataformas digitais (RPA – Robotic Process Automation) surge como uma alternativa capaz de proporcionar eficiência e redução dos custos com atividades padronizadas, repetitivas e baseadas em regras predefinidas. Diante do rápido avanço da tecnologia, não seria descabido imaginar que, no futuro, até mesmo funções mais complexas possam ser exercidas por “robôs”. Qual será o impacto dessa novidade nas carreiras dos profissionais da área tributária? Até que ponto a automatização de processos tende a crescer na área tributária? E mais: pensando na robotização crescente das atividades, em todas as searas da economia, qual o efeito tributário para as empresas e a sociedade? De que forma a novidade atinge, por exemplo, a arrecadação para a previdência social? Essas e outras questões serão debatidas neste Grupo de Discussão do dia 21 de março de 2019.

PATROCINADOR

PARTICIPANTES

"A automação no nível dos dados está cada vez mais acessível. Em cima disso, ainda é possível aplicar inteligência artificial. Essas são as próximas fronteiras e elas ajudarão as companhias na competitividade"
"Conforme a robotização for adentrando as organizações, o Fisco vai precisar olhar mais esse assunto e se comunicar mais com as organizações"
"Há uma diferença entre digitalizar o processo e automatizar o processo. Na automatização, há a oportunidade de repensá-lo"
"A tecnologia não tem limites. Ela está aqui para nos servir. Ela permite que o profissional use seu conhecimento para análise, não apenas com operações manuais"
"O RPA (robotic process automation) tem funções importantes, mas o conhecimento do profissional é fundamental para a interpretação de instruções normativas. As atividades apoiadas em robôs ainda estão longe de substituir o intelecto humano"
"Nós temos uma capacidade limitada de tomar decisões. Deveríamos cada vez mais investir na automação, inclusive dos nossos próprios processos. Temos diversas ferramentas acessíveis para isso"

VEJA COMO FOI

Ouça a íntegra no Clube de Conhecimento

Assista ao vídeo com os melhores momentos do encontro

Confira a reportagem sobre o Grupo de Conhecimento

MATÉRIAS E VÍDEOS RELACIONADOS AO TEMA

REALIZAÇÃO

ENTRE EM CONTATO


{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}