Simon Wong

Professor da Northwestern University School de Chicago e sócio da consultoria Governance for Owners

Especial/Governança Corporativa/Reportagem/Edições/10 anos de Novo Mercado/Temas / 1 de abril de 2012
Por 


“As boas condições da economia brasileira foram fundamentais para o sucesso do Novo Mercado, pois permitiram que muitas companhias se listassem nele. Há vários países asiáticos com ótimas regras de governança cujos mercados de capitais não decolaram, porque a economia não ajudou. O Novo Mercado teve, portanto, um efeito ’turbinador’. Hoje, ele tem grandes desafios. É essencial que suas regras sejam aprimoradas para que não se tornem obsoletas. A adoção de um comitê de auditoria pelas empresas listadas é extremamente importante. O aumento do número de companhias sem um controlador definido também torna cada vez mais fundamental a figura do conselheiro independente, para fiscalizar a administração. Por isso, acredito que o percentual mínimo de 20% exigido atualmente já não dá conta da realidade do mercado brasileiro. A reprovação de propostas relevantes na reforma do Novo Mercado mostra que a condução de alterações no segmento não deve ficar nas mãos das companhias. Não conheço nenhuma outra bolsa do mundo em que seja necessário o voto positivo de dois terços dos emissores para aprovar alterações nas regras de listagem. As empresas devem ser ouvidas, mas não cabe a elas ter a palavra final. Esse poder deve ser da BM&FBovespa, e, caso uma companhia fique descontente com alguma nova regra, ela tem o direito de sair. Acho improvável, contudo, que isso ocorra, devido aos danos de imagem que causaria.”


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  bolsa de valores Governança Corporativa Novos Mercados Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Anne Simpson
Próxima matéria
Novos caminhos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Anne Simpson
"O Novo Mercado é o melhor exemplo de que boas práticas de governança são capazes de transformar a percepção dos investidores...