Tony Stark do mundo real

A história que inspirou o personagem por trás do “Homem de Ferro”

Bimestral/Bolsas e conjuntura/Prateleira/Edição 149 / 10 de maio de 2016
Por 


Como o Ceo Bilionário da Spacex e da Tesla Está Moldando Nosso Futuro*

Como o Ceo Bilionário da Spacex e da Tesla Está Moldando Nosso Futuro*

Biografias de empreendedores costumam ser interessantes sob dois ângulos. De um lado, elas nos permitem enxergar a pessoa por trás dos personagens que só conhecemos no mundo dos negócios; de outro, contam as aventuras e desventuras que invariavelmente acompanham a criação de empreendimentos extraordinários. No livro Elon Musk – Como o Ceo Bilionário da Spacex e da Tesla Está Moldando Nosso Futuro, o jornalista Ashlee Vance relata a história envolvente desse jovem visionário nascido em 1971, que deixou cedo a África do Sul para conquistar o mundo.

O autor teve acesso direto a Musk, a sua família e amigos, e entrevistou cerca de 300 pessoas para descrever a trajetória do empreendedor, da infância conturbada à ascensão à elite empresarial contemporânea. A fotografia que emerge é a de uma personalidade complexa, que espera de todos ao seu redor a mesma dose de paixão, energia e comprometimento que destina aos seus projetos. A jornada de Musk é uma montanha-russa emocional e profissional. O retumbante sucesso que ele alcançou parecia muito improvável há apenas cinco anos.

Em 1992, Musk desembarcou nos EUA munido apenas de feroz determinação, capacidade de trabalho e visão de futuro. O apelo da indústria de tecnologia exerceu grande atração sobre sua mente analítica, e ele fundou uma empresa precursora do que acabou se tornando o PayPal. Depois de manobras societárias o terem afastado da gestão da empresa, de se recuperar de um caso de malária muito grave e da tragédia de perder seu primeiro filho ainda bebê, ele decidiu trocar o Vale do Silício por Los Angeles, em 2002.

Nos cinco anos seguintes, embarcou em múltiplos projetos de interesse pessoal e gastou praticamente toda sua fortuna para colocar de pé uma empresa de tecnologia aeroespacial (a SpaceX) e outra de carros elétricos (a Tesla Motors). Além disso, apoiou seus primos na fundação da SolarCity, hoje a maior instaladora americana de painéis solares. Em vários momentos, suas empresas flertaram com a falência — o que levou estresse para o lar dos Musk, a essa altura uma família com cinco filhos. Mas essa etapa da jornada conduziu as empresas até 2012, e o sucesso começou a materializar-se de forma tangível. Em 2015, o patrimônio de Musk era estimado em US$ 13 bilhões.

O empresário desafiou o status quo em três setores altamente regulamentados e competitivos, apostando contra agentes endinheirados e combativos. Acabou revolucionando paradigmas de lucratividade com visão e inovação disruptivas, além de apostar no “made in USA” (suas fábricas são nos EUA, em vez da terceirização para a China tão em voga). Nesse sentido, a figura de Musk se associa mais às de ícones como Thomas Edison, Henry Ford e Howard Hughes do que às de seus pares do Vale do Silício. Ele representa uma volta, de certa forma, ao conceito ligado aos inventores e “capitães da indústria”: a tecnologia embarcada no produto em vez de constituir o produto em si.

No lado pessoal, a medida de sucesso é mais fugaz. Há pouco tempo Musk juntou-se novamente com sua segunda mulher, após terem se separado em 2014. Seu estilo de liderança é passional: ao mesmo tempo inspira e aterroriza os colaboradores. Uns o descrevem como alguém incapaz de sentir empatia e compaixão; outros acreditam que esses sentimentos estão subordinados a um enorme senso de propósito e realização — também conhecido pelo nome de “ego”. O fato é que a mera sugestão de que uma pessoa real serviu de inspiração para o personagem do Homem de Ferro dá a dimensão do impacto que Musk tem causado — e ainda vai causar — sobre a humanidade. Sua impressão digital estará por toda parte no futuro.


*Elon Musk – Como o Ceo Bilionário da Spacex e da Tesla Está Moldando Nosso Futuro
Ashlee Vance
Editora: Intrinseca
415 páginas
1a edição, 2015

Peter Jancso é sócio da Jardim Botânico Investimentos e conselheiro independente




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  empreendedorismo prateleira Elon Musk Tony Stark da vida real PayPal Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Duro recomeço
Próxima matéria
Faltam os incentivos certos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Duro recomeço
A década de 1990 no Brasil foi marcada por relevantes reformas estruturais: abertura da economia, Plano Real, aprimoramento...