Negócios da China

Com muito dinheiro em caixa e visão de longo prazo, empresários chineses avançam sobre ativos no Brasil

Bimestral / Fusões e aquisições / Reportagem / Edição 152 / 30 de outubro de 2016
Por 
— Como andam as operações de M&A? — pergunta um advogado a uma colega de escritório especializada em fusões e aquisições. — Meio fracas. Os estrangeiros olham muita coisa, mas não compram. Os negócios demoram a sair! Medo da instabilidade política, incerteza sobre diretrizes...

Este conteúdo é restrito a assinantes! Faça login >

paywall2 paywall

Se já é assinante, faça login:



Participe da Capital Aberto: Assine Experimente Anuncie


Tags:  fusões e aquisições M&A infraestrutura commodities ativos brasileiros capital estrangeiro Negócios da China investidores chineses State Grid compradores chineses

Compartilhe: 


Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A OPA 30 proposta pela BM&FBovespa é necessária?
Próxima matéria
Força invisível




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
A OPA 30 proposta pela BM&FBovespa é necessária?
A questão não é nova. A discussão reacendeu no Brasil com a proposta de alteração do regulamento do Novo Mercado...