LSE recusa mais uma vez oferta de compra da Nasdaq

Internacional / Edição 40 / 1 de dezembro de 2006
Por 


Pela segunda vez este ano, em novembro, a bolsa norte-americana Nasdaq fez uma oferta de aquisição à Bolsa de Londres (LSE), na qual detém uma participação de 29%. Alegando que esta seria sua “proposta final”, a Nasdaq se dispôs a pagar US$ 5,1 bilhões em dinheiro, um valor 30% maior que o da primeira oferta, realizada em março.

A LSE rejeitou o negócio no mesmo dia e sua presidente, Clara Fuse, se recusou a encontrar representantes da bolsa americana para negociar. Ela declarou que as condições da oferta ignoravam o crescimento recorde da LSE no ano e também o real valor de seu posicionamento mundial. As ações da bolsa britânica quadruplicaram de preço nos dois últimos anos.

Convencida de que uma oferta concorrente não virá, a Nasdaq ainda não se posicionou quanto à possibilidade de elevar a oferta. O fato de deter uma participação minoritária, mas significativa, no capital da bolsa-alvo a coloca agora numa situação mais confortável que a de março. Dividido quanto à possível revisão do preço proposto, o mercado reconhece que essa participação de 29% esfria os ânimos de outro comprador, visto que a Nasdaq não aceitaria vender os seus papéis a um rival. À espera do desenlace, os fundos hedge não perderam tempo e saíram comprando. Hoje, eles detêm pouco mais de um terço da LSE.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Grandes bancos ameaçam as bolsas com nova plataforma
Próxima matéria
Reino Unido aprova nova lei para reger as companhias abertas




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Grandes bancos ameaçam as bolsas com nova plataforma
De uns tempos para cá, todo mundo parece querer um pedacinho do mercado de capitais europeu — e os sete maiores bancos...