EUA estudam fusões para simplificar sua estrutura de regulação

Internacional / Edição 40 / 1 de dezembro de 2006
Por 


Duas fusões em estudo podem simplificar a estrutura regulatória do mercado norte-americano, eliminando a duplicidade e a inconsistência de normas. A primeira é a da unidade regulatória da Bolsa de Nova York (Nyse) com a Nasd, entidade de auto-regulação que supervisiona as corretoras de valores. Com isso, um único organismo passaria a inspecionar o trabalho dos cerca de 5.100 brokers e dealers do país. A segunda seria realizada entre os reguladores dos mercados de ações (SEC) e de derivativos (Commodity Futures Trade Commission – CFTC).

As operações atendem a uma velha expectativa das corretoras, mas são motivadas pela consolidação dos mercados de ações e de mercadorias e futuros que, no mundo inteiro, tem levado à criação de bolsas únicas para os vários tipos de ativos. As oportunidades de corte de custos são outro incentivo para a unificação dessas estruturas. A Nasd declarou que, concluída a fusão, irá repassar ganhos a suas supervisionadas, através de um pagamento único de US$ 35 mil para cada e de uma redução de taxas nos próximos cinco anos.

As mudanças foram anunciadas uma semana depois de o Secretário do Tesouro Hank Paulson, num discurso, pedir revisões na estrutura regulatória do mercado norte-americano e elogiar o modelo adotado no Reino Unido. Em 30 de novembro, dias após os anúncios dos planos de fusão, veio a público o esperado relatório do Committee on Capital Markets Regulation que recomenda mudanças na SOX e no sistema de litígios judiciais para que os EUA melhorem sua competitividade internacional.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Reino Unido aprova nova lei para reger as companhias abertas
Próxima matéria
Indianas vão aos EUA e reforçam emissões de ADRs




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Reino Unido aprova nova lei para reger as companhias abertas
Foi aprovado no início de novembro um projeto de reforma da legislação das companhias abertas no Reino Unido. Com o objetivo...