Manual de garimpeiro

Já que o mercado às vezes lembra o velho oeste, esse experiente investidor conta seus truques para encontrar as verdadeiras pepitas de ouro

Prateleira/Edição 36 / 1 de agosto de 2006
Por 


ed36_p064-064_pag_1_img_001Numa época em que associar a alguém o termo “fundamentalista” tem conotação religiosa e negativa, é refrescante poder chamar alguém de um grande fundamentalista. Neste caso, trata-se de Frederick Kobrick, um expoente da chamada escola de análise fundamentalista de ações. Fred tem uma vasta ficha corrida: analista de ações (research) e gestor de fundos por mais de trinta anos, ganhador de vários prêmios, e reconhecido pela valorização consistente e estratosférica de suas carteiras administradas. Nesta obra, ele apresenta seus princípios básicos de investimento e ilustra sua aplicação através da própria experiência.

Em um mundo onde a informação é farta e amplamente disponível através de várias mídias, a pressão por resultados superiores e consistentes leva muitos investidores profissionais a comportamentos auto-destrutivos. A única maneira de buscar um certo isolamento da “novidade do momento” é estabelecer uma metodologia sólida e agarrar-se a ela. No caso de Fred, a metodologia tem seu fundamento na identificação de negócios vencedores. Essa busca se apóia em quatro pilares, que ele chama de BASM:

• Business Model: modelo de negócios; ou, como a empresa vai crescer, como vai ser rentável e como vai se proteger da competição.
• Assumptions: premissas sobre as quais a gestão define as estratégias do modelo de negócios.
• Strategy: como a empresa descreve seu plano de ação para atingir os objetivos de crescimento e rentabilidade.
• Management: talento gerencial. A quem, você investidor, vai delegar a responsabilidade de implementar a estratégia?
Além da metodologia, todo bom livro de auto-ajuda tem algum passo-a-passo em direção ao nirvana financeiro. Neste caso, a aplicação do BASM deve seguir míticos “sete passos”: conhecimento, paciência, disciplina, emoções, horizonte de investimento, “market timing” e referências (benchmarks):
• Conhecimento e referências dizem respeito à empresa estudada — é necessário conhecê-la a fundo, principalmente o que pensam seus clientes, e saber como seus indicadores de valorização (índice Preço/ Lucro, índice Preço/Ebitda) se comparam com os de outras do mesmo setor.
• Paciência, disciplina e emoções referem-se ao exercício consistente da metodologia. É preciso não se deixar levar pela crença geral do mercado quando ele testa suas convicções.
• Horizonte de investimento e market timing, finalmente, estão associados a evitar aquele “dedo leve no gatilho” que provoca a realização de lucros antes da hora e a tentação de achar ser possível prever os picos e vales do mercado.

The Big Money: Seven Steps to Picking Great Stocks and Finding Financial Security
Frederick R. Kobrick Simon & Schuster 320 páginas Lançado em 11/04/2006

A combinação de todas as ferramentas citadas é exercitada quase à exaustão ao longo da obra em casos reais de investimento, ilustrados com gráficos de performance das ações. Além disso, devido à longa vivência do autor no mercado, seu relato também tem a vantagem de exercitar a metodologia durante períodos prolongados de alta ou de baixa, conferindo maior credibilidade à sua teoria.

Livros de auto-ajuda abundam na área de “como ficar rico”. A despeito da autoridade de Fred em falar do assunto, não se deve esquecer que este é o estilo de investimento que funcionou para ele. Isto é, os estilos de gestão de recursos dos gurus mais famosos do planeta, de Warren Buffett a George Soros, já foram amplamente dissecados. Nem por isso podemos assumir que BASM e os sete passos funcionarão para o cidadão comum, visto que a maneira como processamos os conceitos e os praticamos está condicionada à nossa bagagem emocional. Apesar de tudo, se acreditamos que existem ações como “pepitas de ouro” (aquelas com retorno superior a dez vezes o valor investido em dez anos), nada mais justo que considerar esta obra um “manual de garimpeiro”.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Esqueceram a governança
Próxima matéria
Os shareholders viraram apenas sharetraders?



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Esqueceram a governança
Em mercados repletos de empresas sem dono listadas em bolsas de valores, um mecanismo apelidado de “poison pill”...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}