Ingleses pressionam por adoção do voto eletrônico nas assembléias

Internacional / Edição 28 / 1 de dezembro de 2005
Por 


 

Um estudo do Shareholder Voting Working Group (SVWG), órgão criado em 1999 para identificar e resolver problemas logísticos e outras restrições que impedem ou desestimulam o voto dos acionistas ingleses, revela que o sistema eletrônico (permitido pela legislação britânica desde o início da década) contabilizou 42% dos votos exercidos até junho deste ano, em oposição a 22% em 2004.

Paul Myners, presidente do SVWG, solicitou à Investment Management Association e à associação de seguradoras britânicas (ABI) que circulassem uma lista das 350 maiores companhias listadas na bolsa de Londres (FT-350) que não permitem o voto eletrônico, como forma de pressioná-las a mudar de idéia. O nível médio de participação nas assembléias gerais evoluiu de 50% dos acionistas em 2003 para 61% em 2005, o que Myners atribui, em grande parte, ao crescimento e à melhor utilização do voto eletrônico.

O grande salto na adoção deste mecanismo por companhias britânicas foi dado em 2004, quando 89% das 100 maiores (FT-100) já disponibilizavam o CrestCo, sistema de armazenamento dos votos, para seus acionistas. Este percentual caía para 56% quando analisadas as 250 maiores (FT-250). Com a divulgação da lista, o SVWG espera alcançar resultados ainda mais elevados até meados de 2006.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Direito de avaliação nas aquisições é debatido pela ABA
Próxima matéria
Perdigão ensina EVA aos funcionários




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Direito de avaliação nas aquisições é debatido pela ABA
Numa conferência organizada pela American Bar Association (ABA) em Washington, no início de novembro, a reivindicação...