Contratação de formador de mercado duplica em 2005

Edição 28 / 1 de dezembro de 2005
Por 


A contratação de formadores de mercado (também conhecidos como market makers) é uma tendência que parece ter vindo para ficar. Em 2005, foram 12 novas adesões, sete delas no segundo semestre. Hoje, 18 companhias contam com o serviço prestado por corretoras para fomentar a liquidez de suas ações por meio da colocação de um número mínimo de ofertas de compra e venda em cada pregão.

Regulamentada desde junho de 2003, a atividade viu seu crescimento estimulado pelo desempenho dos papéis das primeiras companhias que adotaram o modelo e, também, por uma redução nos preços cobrados pelas corretoras que prestam o serviço. Além de contribuir para reduzir a volatilidade dos preços e as diferenças em relação aos títulos da concorrência, o market maker facilita a inclusão das companhias nos índices da bolsa.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Isenção fiscal pode ressuscitar os fundos imobiliários
Próxima matéria
BrasilAgro nascerá aberta no Novo Mercado da Bovespa




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Isenção fiscal pode ressuscitar os fundos imobiliários
No passado recente, os fundos de investimento imobiliário atingiram o auge com emissões que chegaram a somar R$ 1 bilhão...