Relatórios sociais estão mais abrangentes

Internacional / Edição 23 / 1 de julho de 2005
Por 


Pesquisa internacional da KPMG mostra que os relatórios de responsabilidade social estão ganhando mais atenção das companhias. O estudo, realizado trimestralmente, analisa as tendências na publicação desses trabalhos entre as maiores corporações do mundo. Considera-se, neste caso, responsabilidade corporativa como o desejo de contribuir com um crescimento econômico sustentável, trabalhando em prol de uma melhor qualidade de vida dos funcionários, suas famílias, da comunidade local e da sociedade.

O resultado dos últimos três meses mostrou que, em 2005, 52% das empresas pertencentes ao G-250 (as 250 maiores companhias da revista Fortune) e 33% do N-100 (índice das 100 melhores empresas de 16 países) publicaram, separadamente, o relatório sobre responsabilidade corporativa, comparado com 45% e 23%, respectivamente, em 2002. Este percentual fica ainda maior – 64% das empresas do G-250 e 41% do N-100 – se forem considerados, também, os relatórios financeiros anuais contendo informações relacionadas a sustentabilidade.

Por outro lado, apesar de a maioria das companhias incluídas no N- 100 (80%) já preparar um relatório individual sobre responsabilidade corporativa, vem crescendo o número de empresas que estão incluindo as informações deste último em relatórios anuais. As empresas do Japão (80%) e Inglaterra (71%) merecem destaque por serem as que mais publicam, separadamente, um informe sobre os aspectos socioambientais.

Notou-se, ainda, uma drástica mudança no formato dos relatórios, que passaram de formulários puramente ambientais para informativos mais completos abordando, também, aspectos econômicos e sociais.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  KPMG G-250 N-100 Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
SOX não funciona em casos de propriedade concentrada
Próxima matéria
Salários de executivos disponíveis na internet




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
SOX não funciona em casos de propriedade concentrada
Recente estudo do renomado professor John Coffe, da Universidade de Columbia, mostrou que diferenças na estrutura de propriedade...