Canadá quer evitar debandada de empresas

Internacional / Edição 23 / 1 de julho de 2005
Por 


Para evitar que alguns efeitos indesejáveis da lei norte-americana Sarbanes-Oxley – como a fuga de empresas das bolsas – se repitam em seu país, o órgão regulador do Canadá, Canadian Securities Administrators (CSA), resolveu propor a flexibilização de suas exigências ligadas a controles internos. Uma idéia em discussão com os investidores, por meio de audiência pública, é dar um prazo maior para os emissores menores se adequarem às regras impostas.

Os requerimentos de controle interno da CSA são bem parecidos com os da seção 404 da SOX. Esta última estabelece que a administração ateste a efetividade dos controles internos sobre os relatórios financeiros e que o auditor valide esse certificado.

Segundo Bob Tait, presidente do Canadian Investor Relation Institute (Ciri), a instituição é totalmente a favor das novas propostas, tendo em vista, principalmente, o crescente número de companhias saindo da bolsa norte-americana por não conseguirem cumprir com as demandas da SEC.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Sarbanes-Oxley Canadá CSA Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Entre fiscalizar e ter liquidez
Próxima matéria
SOX não funciona em casos de propriedade concentrada




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Entre fiscalizar e ter liquidez
fO desejo de estar representado nos conselhos de administração das companhias se espalhou rapidamente entre os investidores...