Empresas brasileiras de olho em Angola

Edição 21 / 1 de maio de 2005
Por 


Empresas brasileiras vislumbram oportunidades de negócio no mercado de capitais de Angola. O país passou por uma série de reformas e agora trabalha para colocar em funcionamento sua bolsa de valores e um órgão regulador nos mesmos moldes do Brasil.

Segundo Moira Virginia Huggard-Caine, sócia responsável pela área de relações institucionais do Tozzini, Freire, Teixeira e Silva Advogados, algumas características dos angolanos semelhantes às dos brasileiros, como o idioma, por exemplo, facilitam a realização de operações entre os dois países. Não à toa, o escritório estabeleceu, no final do ano passado, uma parceria com o escritório português A.M. Pereira, Sáragga Leal, Oliveira Martins, Júdice e Associados, apenas para atender à demanda de companhias brasileiras interessadas em atuar no país africano, inclusive no seu mercado de capitais.

Em abril, os angolanos realizaram uma segunda visita ao Brasil para conhecer o funcionamento e as práticas de mercado vigentes. De acordo com Haroldo Levy, presidente da Apimec São Paulo, responsável pelos cursos ministrados à delegação de Angola, houve um profundo interesse dos participantes pelo processo de certificação realizado no Brasil. “Este ano devemos ter alguns membros da equipe de visitantes tentando obter o certificado de qualificação daqui”, afirma Levy.


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
CVM aproxima normas contábeis do IFRS
Próxima matéria
Investidores aderem às carteiras mais longas




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
CVM aproxima normas contábeis do IFRS
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) prepara uma série de medidas para que as companhias aproximem sua contabilidade...