Capital de risco escolhe a bolsa

Internacional / Edição 18 / 1 de fevereiro de 2005
Por 


Os fundos de capital de risco norte-americanos reforçaram o uso da bolsa de valores como canal de saída para seus investimentos. No ano passado, 93 companhias que contavam com investimentos de fundos venture capital realizaram IPOs, o triplo de 2003. No total, as emissões movimentaram US$ 11 bilhões, bem mais que os US$ 2 bilhões do mesmo período do ano anterior, de acordo com levantamento da Thomson Venture Economics.

Apenas no quarto trimestre de 2004, foram realizadas 27 ofertas, sendo 17 do setor de tecnologia. Segundo Mark Heesen, presidente da National Venture Capital Association, 62% do total de companhias que abriram o capital no ano passado receberam investimentos dos fundos de capital de risco entre 1997 e 2000, logo antes da recessão. “O mercado de capitais está agora abraçando muitas das companhias que enfrentaram a bolha da internet e sobreviveram”, afirma. Sua expectativa é ver “mais do mesmo em 2005, com novas empresas saindo das cinzas”. No Brasil, um movimento de retirada de fundos de capital de risco via bolsa começou a ser esboçado em 2004. Das sete companhias que chegaram ao mercado, três – Gol, ALL e Diagnósticos da América (DASA) – tinham fundos de private equity como acionistas.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Em 2004, IPOs no mundo crescem 148%
Próxima matéria
SEC avalia nova regra para os prospectos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Em 2004, IPOs no mundo crescem 148%
Não foi só no Brasil que as aberturas de capital voltaram a pipocar. Pelo contrário. Dados divulgados pela KPMG em Londres,...