Uma visão brasileira sobre as fusões e aquisições

Com o selo Financial Times / Prentice Hall, Guia de referência traz ao mercado aplicação prática dos modelos de avaliação econômica

Fusões e aquisições / Edição 15 / Prateleira / 1 de novembro de 2004
Por 


ed15_060-060_pag_1_img_001As transações de compra e venda de empresas, conhecidas pela abreviação M&A (do termo em inglês mergers and acquisitions), são equivalentes aos leilões de arte promovidos por grandes galerias como Sotheby’ s e Christie’s: charme, conteúdo e bandeja de ouro de boa grife são os fundamentos básicos da venda e da distribuição. Movimentaram mundialmente US$ 5,5 bilhões em 350 transações no ano passado, destacando-se a liderança de “advisors” como Goldman Sachs, JP Morgan e Merrill Lynch.

No centro dessas operações está a avaliação econômico-financeira das companhias envolvidas, ciência na qual o professor Aswath Damodaran, da Stern Business School, assume o papel de “guru” internacional e influencia toda uma geração de profissionais. Por aqui, fez discípulos como Roy Martelanc, Rodrigo Pasin e Francisco Cavalcante, que acabam de publicar o livro Avaliação de Empresas – Um Guia para Fusões & Aquisições e Gestão de Valor, da editora Pearson Prentice Hall.

Martelanc e Cavalcante são professores da FEA/USP e Pasin é um ativo operador de M&A. No estilo editorial Pearson-Financial Times, o trio produziu um guia de consulta rápida com aplicação prática dos princípios de análise financeira de empresas para melhor entendimento das negociações de fusões e aquisições.

Avaliação de empresas – um guia para Fusões & Aquisições e gestão de valor
Roy Martelanc, Rodrigo Pasin e Francisco Cavalcante
Editora Pearson Education

Em 10 capítulos, o livro começa pelo conceito de avaliação pelo modelo de Fluxo de Caixa Descontado e passa por componentes macroeconômicas como inflação, câmbio e risco Brasil. Aborda também a subjetividade implícita no valor de uma companhia ao ser construída a pirâmide de ativos tangíveis e intangíveis – estes últimos, como sempre, complexos de mensurar, ainda que fundamentais dentro das mais modernas teorias de avaliação.

No capítulo sobre fusões e aquisições, os autores procuram mostrar como avaliar as sinergias envolvidas no processo de M&A pelo método do Fluxo de Caixa Descontado, e mensurálas de maneira adequada para justificar eventual ágio. “A obra preenche um espaço que persistia na literatura tradicional, em que se encontravam apenas comentários genéricos sobre geração de riqueza como objetivo principal da administração financeira”, afirma o professor de finanças Alberto Borges Matias, especialista que assina o prefácio do livro. Pode-se dizer que o livro se apresenta como referência básica para o tema e oportuna contribuição brasileira à literatura de M&A.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Em tempos de governança e oportunidades
Próxima matéria
Títulos alternativos para o setor agrícola




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Em tempos de governança e oportunidades
Figura carimbada nas páginas da Capital Aberto, o tema da governança corporativa aparece especialmente destacado nesta...