A primeira bolsa do Brasil

Bimestral/Edição 101 / 1 de janeiro de 2012
Por 


Em 28 de janeiro de 1817, foi inaugurada a Praça do Comércio de Salvador, na Bahia. Era a primeira Bolsa em território brasileiro. O Rio de Janeiro, então capital do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, só viria a estabelecer instituição semelhante dois anos depois.

Para a época, até que não estávamos tão defasados em relação ao hemisfério norte. A New York Stock Exchange fora criada em 1792, e a construção da monumental Bolsa de Paris iniciou–se em 1807, por encomenda de Napoleão Bonaparte.

Praça do Comércio era o eufemismo português para designar uma bolsa. A sinonímia dos termos está no artigo 97 do Código Comercial Português de 1833. Vale a pena transcrever o original na grafia estranhamente curiosa daquele tempo:

97. Praça do commercio ou bolça é não só o local, mas a reunião dos commerciantes, capitaens e mestres de navios, corretores e mais pessoas empregadas no commercio. Este local e reunião é sugeito á polícia e a autoridade designada na lei.

No ano de 1811, a Coroa doou os terrenos à beira–mar para a construção dos prédios de Salvador e do Rio. Mas tanto a captação dos recursos necessários quanto a edificação do imóvel de Salvador foram entregues à iniciativa privada, representada por uma comissão de comerciantes. O numerário para o edifício da instituição carioca teve como fonte o Banco do Brasil; já a construção ficou a cargo de uma repartição pública, a Real Junta de Comércio e Navegação. Essas diferenças de estirpe dos responsáveis pelas obras explicam por que a Bolsa baiana pôde ser inaugurada antes da congênere carioca.

O projeto e a construção do edifício de três andares e linha clássica da Bolsa de Salvador levaram a assinatura do arquiteto e engenheiro militar Cosme Damião da Cunha Fidié. O pórtico central segue o estilo quinhentista conhecido como palladiano, originado nos trabalhos do arquiteto italiano Andrea Palladio. Mas as janelas e as portas, com caixilhos losangulares, são de uso tipicamente baiano. O imóvel sobrevive conservado em Salvador e é conhecido como Palácio da Associação Comercial da Bahia.

A primeira sede da Bolsa do Rio também foi preservada em frente à Igreja da Candelária, no centro da cidade. A amplidão de seu piso térreo remonta às funções primordiais. É, claramente, o “floor” de uma bolsa. Abriga, hoje, uma instituição cultural, a Casa França–Brasil. Trata–se de uma construção neoclássica cujos projeto e execução foram obra do arquiteto francês Grandjean de Montigny, membro da célebre Missão Artística Francesa, chegada ao Brasil em 1817, ainda durante o reinado de D. João VI.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
O fim de uma era
Próxima matéria
Faça o que eu digo... - Parte II



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
O fim de uma era
Dezenas de livros foram escritos a respeito da chamada crise do subprime e seus efeitos sobre a economia norte–americana...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}