Avaliando os resultados

Especial / Relações com Investidores / Edições / Temas / Reportagem / 1 de setembro de 2009
Por 


Para fazer uma avaliação de performance, pode-se considerar que a rentabilidade esperada para determinado investimento equivale ao seu retorno médio apresentado no passado. Uma das formas mais simples de interpretar a rentabilidade de um fundo é acompanhando a evolução de suas cotas.

O valor de cada cota é calculado diariamente pelo gestor, refletindo o valor de mercado de todos os ativos que compõem a carteira do fundo. Esse preço é determinado pela divisão do patrimônio líquido pelo número de cotas na data da aplicação. Se o volume de saques do fundo for superior aos novos investimentos, o valor da sua cota vai diminuir, por isso é importante acompanhar esse indicador para saber se você está ganhando ou perdendo dinheiro.

Os dados podem ser coletados nos extratos que você recebe do seu fundo de investimento ou, se quiser acompanhá-lo com mais frequência, entre em contato com o gestor ou busque os dados divulgados nos jornais.

A conta básica é simples (veja quadro ao lado)

Para calcular o número de cotas que você possui no fundo, basta dividir o valor investido pelo valor individual da cota na data do investimento inicial. O ideal é avaliar um histórico de rentabilidade do fundo e conferir se esse comportamento foi adequado aos objetivos do investimento descritos no regulamento.

Em geral, os administradores adotam a cota do dia seguinte (D 1) para aplicações e resgates. Essa informação deverá constar no estatuto social do fundo e no prospecto.
Mas não basta simplesmente saber calcular a rentabilidade, você também precisa responder à seguinte pergunta: essa rentabilidade está condizente com o nível de risco que estou assumindo? Para fazer essa operação, os profissionais do mercado financeiro se utilizam de um indicador técnico que mede o retorno por nível de risco de cada carteira ou ativo dos fundos, o índice de Sharpe. Esse indicador relaciona a rentabilidade de acordo com seu risco: quanto maior o retorno e menor o risco do investimento, melhor será o índice de Sharpe.

Seu cálculo leva em conta o risco e o retorno do fundo acima da poupança. Por ser um ativo financeiro considerado livre de risco, considera-se que qualquer investimento que possui um risco maior do que a poupança deve proporcionar uma rentabilidade melhor, ou seja, deve pagar um prêmio pelo risco incorrido.

Assim, se você está fazendo uma aplicação que rende o mesmo que a poupança e oferece maior risco, certamente está no lugar errado!

Alguns administradores adotam também um prazo de carência para efetuar os resgates. Caso o investidor saque durante esse período, poderá perder a rentabilidade entre a data de aniversário da carência e a data do resgate (essa condição deverá estar mencionada no estatuto social do fundo e no prospecto). Se estiver previsto no estatuto social do fundo, o cotista somente poderá resgatar em datas estipuladas.

Equilibre seus investimentos
Ao sugerir uma carteira de investimentos, os especialistas propõem um mix que leve em consideração o perfil de risco e a idade. Mesmo que o investidor tenha um perfil bastante agressivo, mas já está por volta dos 50 anos de idade, a recomendação é que ele reduza um pouco o investimento em ações.
Veja exemplos de carteiras sugeridas pelo gestor de um banco nacional para três diferentes perfis de clientes. Vale reforçar que não se trata de uma recomendação, já que a situação de cada investidor deve ser analisada individualmente com base nas informações de que falamos no início deste guia.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Investimentos Fundos de Investimentos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Sim, você está protegido
Próxima matéria
Quanto custa investir




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Sim, você está protegido
O ano de 2005 foi bastante representativo para a indústria de fundos no Brasil. As Instruções Normativas nº 409 e 411 consolidaram...