“Até quando o Novo Mercado vai ser novo?”

GILBERTO MIFANO

Especial/Governança Corporativa/Reportagens/Edições/10 anos de Novo Mercado/Temas / 1 de abril de 2012
Por 


Com o estudo Desafios e Oportunidades para o Mercado de Capitais Brasileiro em mãos, o então superintendente da Bovespa Gilberto Mifano iniciou, dentro da instituição, um intenso debate sobre os níveis diferenciados de governança corporativa a serem criados. “Havia dúvidas se os níveis 1 e 2 teriam, ou não, relevância e se ofuscariam o Novo Mercado”, conta.

Segundo ele, o Novo Mercado não é uma obra só da Bovespa e do grupo que produziu o estudo, é também dos órgãos reguladores, como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o governo, e dos grandes investidores nacionais e estrangeiros. Junto com Maria Helena Santana, na época superintendente de emissores, Mifano viajou o mundo para ouvir o que os investidores pensavam. Fez roadshows nos Estados Unidos, na Europa, na Índia, na Turquia e na China. Escutou dezenas de críticas. “Tomamos muita bronca, devido à baixa proteção aos direitos dos minoritários no Brasil.”

Hoje presidente do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), Mifano admite que inicialmente não gostou do nome Novo Mercado. A razão era simples. Em uma visita à sede do Bradesco, na Cidade de Deus, tinha achado estranho os prédios serem chamados de Novo, Mais Novo, Novíssimo. “Até quando o Novo Mercado vai ser novo? O desafio, daqui para frente, é ter suas práticas de governança adotadas por todas as companhias.”


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  bolsa de valores Governança Corporativa Novos Mercados Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
"As empresas precisam aceitar elevar as regras"
Próxima matéria
"É necessário reduzir a burocracia e os custos das empresas"



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
"As empresas precisam aceitar elevar as regras"
Antes de solicitar o estudo que daria origem ao Novo Mercado, Maria Helena Santana, hoje presidente da Comissão de Valores...