Novas perspectivas para o aço

A expectativa sobre a demanda global por aço até 2025 caiu dois pontos percentuais em relação à previsão feita no ano passado pela PwC. Ainda assim, a demanda global deverá manter crescimento moderado, mas com grandes diferenças entre regiões e países. A China continuará a consolidar sua posição …



A expectativa sobre a demanda global por aço até 2025 caiu dois pontos percentuais em relação à previsão feita no ano passado pela PwC. Ainda assim, a demanda global deverá manter crescimento moderado, mas com grandes diferenças entre regiões e países. A China continuará a consolidar sua posição dominante no mercado mundial e possivelmente estará consumindo quase tanto aço quanto todo o restante do mundo dentro de dez anos. Já a Europa dificilmente irá se recuperar em médio prazo, apesar dos enormes esforços para reestruturar a indústria.

É o que mostra o relatório Steel in 2025: quo vadis?, que aponta também as cinco competências essenciais que os produtores de aço da Europa precisam ter, se quiserem aproveitar as mudanças no mercado como uma oportunidade de otimizar seu modelo de negócio.

Acesse: https://goo.gl/9bmuK1

 

Gostou do artigo?

Cadastre-se e não perca nenhum texto deste canal.
Receba por e-mail um aviso sempre que um novo texto for publicado.



Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  PwC aço Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Startup do mal?
Próxima matéria
Nasdaq quer transparência sobre remuneração de conselheiros indicados



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Startup do mal?
Produtora de um software de gestão de recursos humanos para pequenas e médias empresas, a startup americana Zenefits estava...